Ministério do Esporte III Edição - Marabá/2000
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

Organizado pelo Comitê Intertribal Indígena, com apoio do Ministério do Esporte, os Jogos dos Povos Indígenas têm o seguinte mote: “O importante não é competir, e sim, celebrar”. A proposta é recente, já que a primeira edição dos jogos ocorreu em 1996, e tem como objetivo a integração das diferentes tribos, assim como o resgate e a celebração dessas culturas tradicionais.


Informações: (61) 3217-1614 E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

III Jogos dos Povos Indígenas/ 2000

Cidade Sede: Marabá / PA
Data: 15/10/2000 à 21/10/2000
Lema: A União das Tribos

Histórico

Nos III Jogos dos Povos Indígenas, 34 etnias indígenas de todo o Brasil participaram do, até então, maior evento de integração das sociedades indígenas. A equipe de organização do evento escolheu a ilha do Tucunaré, na cidade de Marabá - PA, para a realização do evento. Por seu ambiente natural semelhante ao de uma aldeia indígena. De 15 a 21 de outubro de 2000, cerca de 900 índios competiram e fizeram apresentações culturais.

Uma "aldeia olímpica" e uma arena com capacidade para cerca de 10 mil pessoas foram montadas com apoio do Ministério do Esporte e Turismo, do Instituto Nacional de Desenvolvimento do Esporte - INDESP, do governo do estado do Pará, da Secretaria Executiva de Esporte e Lazer, da Prefeitura da cidade de Marabá, da Funai e do Comitê Intertribal. Com o objetivo de promover a integração esportiva e cultural, os organizadores e os índios fizeram da cidade de Marabá uma grande "aldeia".

Um público acima do esperado, juntamente com autoridades, assistiu à abertura e às competições dos Jogos, conhecendo um pouco de cada etnia presente. Índios e índias iniciaram as competições na manhã do dia 16, com o futebol de campo, uma modalidade não tradicional indígena. O público também presenciou disputas de arco e flecha, zarabatana, cabo de guerra, arremesso e canoagem, provas tradicionais dos indígenas. O futebol e a natação, esportes não tradicionais dos índios, também empolgaram o público com disputas acirradas. A premiação e o encerramento ocorreram na tarde do dia 21 de outubro.

As etnias que participaram dos III Jogos foram Bororo - MT; Bakairi - MT; Xavante - MT; Xickin - MT; Arara - PA; Munduruku - PA; Krahô - TO; Tembé - PA; Suruí - PA; Kaapor - PA; Parakanã - PA; Matis - AM; Kaiowá - MS; Guarani - SP; Mbyá - PA; Kaingang - PR; Pataxó - BA; Karajá - TO; Asurini - PA; Gavião Parkatejê - PA; Terena - MS; Kanela - MA; Wai Wai - PA; Yawalapiti, Xingu - MT; Kuikuru, Xingu - MT, Kamayura, Xingu - MT; Kalapalo, Xingu - MT; Waurá, Xingu - MT; Mehinaku, Xingú- MT; Erikbatsa - MT; Jawaé - TO; Suyá, Xingu - MS; Arawete - PA; Assurini - PA e Kayapó - PA .

Essas etnias começaram a entender, de fato, o objetivo dos Jogos, pois buscaram a autenticidade em cada modalidade de seus esportes tradicionais. Contudo, destacaram-se nas apresentações de suas manifestações culturais, como pinturas corporais, danças, vestimentas, plumagem, cantos e nas características de seus artesanatos. Essas atividades culturais não ficaram restritas apenas aos indígenas. Os grupos folclóricos da cidade também tiveram seu espaço na Arena para apresentar suas danças e músicas. Um grande intercâmbio cultural e social foi o que marcou a semana dos III Jogos dos Povos Indígenas.

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla