Ministério do Esporte V Edição - Marapanim/2002
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte



Organizado pelo Comitê Intertribal Indígena, com apoio do Ministério do Esporte, os Jogos dos Povos Indígenas têm o seguinte mote: “O importante não é competir, e sim, celebrar”. A proposta é recente, já que a primeira edição dos jogos ocorreu em 1996, e tem como objetivo a integração das diferentes tribos, assim como o resgate e a celebração dessas culturas tradicionais.


Informações: (61) 3217-1614 E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

VI Jogos dos Povos Indígenas/2003

A sexta edição dos Jogos dos Povos Indígenas será realizada no período de 1º a 08 de novembro próximo, na Praia da Graciosa, em Palmas, Estado de Tocantins.

Reunirá mais de mil indígenas, de 60 diferentes povos do País, além de contar com a presença de indígenas do Canadá e da Guiana Francesa. O evento é realizado desde outubro de 1996, sob o patrocínio do Ministério Extraordinário dos Esportes, por meio das secretarias de esporte e prefeituras dos estados que acolhem o evento, com o apoio da Funai, responsável pela mobilização dos participantes do evento.

A experiência das cinco edições anteriores permitiu aos organizadores aprimorar a realização do evento, corrigir as falhas, observar e definir novas linhas de ações para alcançar a meta principal, hoje conhecidas por todos: a consolidação dos Jogos dos Povos Indígenas como a maior e mais importante festa de congraçamento dos povos indígenas, nascida de um sonho dos próprios índios. O critério para a participação é a força cultural das etnias, considerando tradições como a língua, a dança, os rituais, os cantos, as pinturas corporais, o artesanato e os esportes tradicionais.

A primeira edição ocorreu em Goiânia, em outubro de 1996, com a presença de 25 etnias e mais de 400 atletas e contou com a presença de Pelé, que incluiu o evento no calendário da Secretaria Nacional do Esporte, hoje Ministério Extraordinário dos Esportes. Os II Jogos foram realizados na cidade de Guairá, no Paraná, em outubro de 1999 e teve a participação de 31 etnias e mais de 600 atletas. Em Marabá, no interior leste do Pará, a terceira edição dos Jogos reuniu 800 atletas de 34 diferentes culturas indígenas. Em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, em outubro de 2001, o Parque das Nações Indígenas recebeu 470 atletas de 29 etnias. Em outubro do ano passado, cerca de 1100 atletas de 62 etnias demonstraram esportes indígenas e outros conhecidos dos não-índios, bem como danças e rituais de suas culturas ao numeroso público. A quinta edição dos jogos ocorreu na Praia do Crispim, em Marapanim, no litoral do Pará durante 8 dias.

Este ano, os VI Jogos dos Povos Indígenas terão a participação de 60 etnias. Já estão confirmadas as presenças de 45 delegações: Awa Guajá/MA; Aikewara/PA; Apinajé/TO; Avá Canoeiro/GO; Awetí/MT; Bakairi/MT; Bororo/MT; Cinta Larga/RO; Enawêne Nawê/MT; Gavião Kyikatêjê/PA; Guarani/PA; Hixkariana/AM; Javaé/TO; Ka'apor/MA; Kaiwá/MS Kalapalo/MT; Kamayurá/MT; Kanela Ramkokamekra/MA; Karajá/TO; Kayabi/MT; Kayapó/PA; Krahô/TO; Kuikuru/MT; Matis/AM; Nambikwára/RO; Parakanã/PA; Paresi/MT; Pataxó/BA; Rikbatsa/MT; Suruí/RO; Tapirapé-TO/MT; Tembé-PA/; Terena/MS; Uru-Eu-Wau-Wau-/RO; Wai Wai/PA; Waiãpi/AC; Waimri Atroari/AM; Waura/MT: Xavante/MT; Xerente/TO; Xikrin/PA; Xucuru Kariri/AL; Yanomami/RR; Yawalapití/MT.

Dos povos participantes confirmados, sete estão indo aos Jogos pela primeira vez: os Awa Guajá, do Maranhão, que falam e entendem muito pouco o português e cujo contato com não-índio se restringe praticamente ao chefe do Posto Indígena da Funai; os Avá Canoeiro, de origem desconhecida e com uma população de apenas 14 pessoas, representados nos Jogos por seis deles, que moram na região da Serra da Mesa, em Goiás; os Kaapor, do Maranhão, conhecidos pela arte plumária; os Nambikwára e os Uru-Eu-Wau- Wau, de Rondônia e os Waimiri Atroari e os Hixkariana do Amazonas.

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla