Ministério do Esporte Relações indígenas serão fortalecidas com realização dos Jogos Mundiais em Palmas
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Relações indígenas serão fortalecidas com realização dos Jogos Mundiais em Palmas

(Foto: Divulgação/ME)(Foto: Divulgação/ME)

As relações das 24 etnias brasileiras e povos indígenas de 23 países serão fortalecidas com a integração e troca de experiências entre 2.200 indígenas que estarão participando, de 20 de outubro a 1º de novembro, em Palmas, no Tocantins, dos primeiros Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. O evento recebeu elogios do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que parabenizou a presidenta Dilma Rousseff pela iniciativa de realizar o Mundial Indígena no Brasil.  

Os jogos foram idealizados pelos irmãos Marcos e Carlos Terena, da etnia Terena, de Mato Grosso. Os dois foram responsáveis pelas 12 edições dos Jogos Indígenas, sendo a primeira edição realizada em 1996, com apoio do Ministério do Esporte. Os primeiros Jogos Mundiais dos Povos Indígenas já foram lançados na sede da ONU, em Nova Iorque, e no dia 23 de junho, em Brasília, com a presença da presidenta Dilma e de lideranças indígenas de várias partes do mundo.

Os Jogos têm como base o artigo 31 da Declaração da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre os direitos indígenas, que estabelece a manutenção, controle, proteção e desenvolvimento de todo o seu patrimônio.  Tudo isso será discutido durante 13 dias, quando indígenas de 23 países estarão reunidos para trocar experiências, debater políticas públicas indígenas, conhecer novas culturas e festejar esse momento tão importante para o mundo.

Etnias de dez países já confirmaram participação no evento. Os três primeiros dias serão de adaptação, os indígenas brasileiros vão trocar experiências com os povos Mapuche, Tehuelche, Huarpe, Diaguita Calchaqui, Mocovi, Wichi, Qom, Mbya Guarani Tonocote, Kolla e Tapiete, da Argentina; Do Chile participarão 50 representantes dos Mapuche, Likan Antay, Diaguita, Rapa Nui, Aymara e Selk Nam.

Da Colômbia virão representantes das etnias Nasa, Mwak, Embeva, Huitoto, Esperara, Wayua, Pardos, Totoro, Kokonuko, Inga, Kamentsa, Wounam, Tikuna e Saliva. Como foi estabelecido nas normas do evento cada país tem direito a trazer uma delegação com 50 integrantes, mas esse número pode variar de acordo com as condições de cada país. A Guatemala será representada por 25 integrantes da etnia Maya.

O México será representado por indígenas das etnias Nahuas, Mixtecos, Tepehuanos, Huicholes ou Wirrarikas, Tarahumaras ou Raramuris, Purhepechas e Mayas. Nova Zelândia – Será representada por 50 Maori. Panamá com os povos indígenas: Comarca Kuna Yala, Comarca Embera-wounaan e Comarca Ngabe-Buggle. Do Paraguai participará a etnia Pai tavyterã e outras a confirmar.

Da Rússia Udege people, Khanti, Mansi, The Buryats, The Evens, Dolgans (self-designation: caxa), Tuvinians, The Nanai people, The Abazins, The Selkups. Do Uruguai Choñik e outros a confirmar.

Cleide Passos
Ascom - Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla