Ministério do Esporte Adaptação do vôlei promove integração e qualidade de vida a idosos gaúchos
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE

 
Conheça os principais programas e ações da Secretaria Especial do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Adaptação do vôlei promove integração e qualidade de vida a idosos gaúchos

O desporto está fazendo a cabeça do pessoal no interior do Rio Grande do Sul. Popularmente conhecida como câmbio, uma espécie de jogo de vôlei que sofreu adaptações, a modalidade é praticada três vezes por semana em nove núcleos do Programa Esporte e Lazer da Cidade (Pelc) em Novo Hamburgo. Mais que garantir alongamento e atividade física aos beneficiados com mais de 45 anos, o câmbio está virando esporte de tradição na categoria dos mais vividos.

O câmbio é disputado por equipes mistas, com homens e mulheres. Cada time tem direito a dar até três toques por lance, ficando sempre com o jogador na posição do meio o poder de passar a bola para o lado adversário.

A depressão e a ociosidade, somadas à  inexistência de um momento exclusivo que esse público pudesse protagonizar no esporte, agora são coisa do passado. A atividade física abriu caminho para a socialização. Homens e mulheres criaram até equipes que disputam competições  internúcleos. Mais que isso, outro time formado por senhores e senhoras participa inclusive de torneios intermunicipais. Não se trata de uma partida em que prevalece a vitória e a derrota, e sim um encontro que promove a integração social.

"Mês passado, nossa equipe jogou contra a equipe de São Leopoldo, cidade vizinha de Novo Hamburgo. Agora será a vez de a equipe da casa receber, na próxima terça (16), em Lomba Grande (bairro rural de Novo Hamburgo) os atletas sãoleopoldenses", explica o professor Cezar Ribeiro, coordenador-geral do programa.

A doméstica aposentada e viúva há 20 anos Terezinha Soares de Melo, 63 anos, é uma das jogadoras do Pelc  mais animadas com a pratica do câmbio. A senhora que, ainda menina, aos 7 anos perdeu o pai, vítima de suicídio, trabalhou na roça até os 19 anos de idade e durante toda a vida deu faxinas em residências, fato que resultou em uma hérnia de disco, também tem pressão alta.

Com o câmbio e os exercícios oferecidos no Pelc, d. Terezinha esqueceu as dores na coluna, e os problemas pelos quais passou foram superados. A mãe de três filhos e avó de três netos tem uma vida independente. "Além de praticar o câmbio, frequento bailes e ainda trabalho fazendo salgados por encomenda para festas", orgulha-se.

Evolução do Pelc

Ao longo de tantos anos, o programa Esporte e Lazer em Novo Hamburgo  teve como gestora a prefeitura. Foram realizadas duas etapas de convênios executadas com recursos do Ministério do Esporte e desenvolvidas nas versões Saudável e Todas as Idades. Agora, o programa se encontra em fase de prestação de contas e anda "com as próprias pernas", patrocinado pela prefeitura.

Carla Belizária
Foto: Divulgação
Ascom - Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla