Ministério do Esporte Jogos Indígenas: rotina nas aldeias inclui a prática de modalidades tradicionais
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE

 
Conheça os principais programas e ações da Secretaria Especial do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Jogos Indígenas: rotina nas aldeias inclui a prática de modalidades tradicionais

No Brasil o índio também pratica esporte. Hoje 450 mil indígenas integrantes de 230 povos que falam 180 línguas estão distribuídos por praticamente todo o país, e isso não significa que todos eles tenham a mesma cultura e sigam os mesmos rituais. Cada etnia conta com vivências como a prática de esportes, além de manifestações, costumes, habilidades tecnológicas, organizações sociais, crenças, ritos e espiritualidades. Ao longo da 12ª edição dos Jogos dos Povos Indígenas, em Cuiabá, serão apresentadas 10 modalidades praticadas no interior das aldeias.

O calendário de jogos inclui oito modalidades indígenas e duas que não são. Competições de canoagem, arco e flecha, cabo de força, arremesso de lança, corrida de 100 metros, corrida de fundo, corrida de tora e natação/travessia lideram as competições na arena dos jogos que será montada pela organização do evento, dentro do Jardim Botânico, na comunidade Sucuri, na capital mato-grossense. O futebol masculino e o futebol feminino completam a lista como esportes não-indígenas.

Paralelas aos jogos realizados durante os dez dias de evento acontecem demonstrações de esportes tradicionais e exposição de artesanato. Um fórum de debates com rodadas de discussões sobre a questão indígena também faz parte da programação do evento, que contará com a participação de 1,6 mil guerreiros indígenas representantes de 48 etnias nacionais. Confira a dinâmica das modalidades esportivas:

Canoagem - A prova é realizada em duplas. O vencedor será identificado pela arbitragem a partir da passagem da ponta da proa da canoa na linha demarcatória.

Arco e Flecha - A prova é individual e cada competidor terá o direito a três tiros. O alvo será o desenho de um peixe. A distância entre o alvo e a posição do arqueiro será de aproximadamente 30 metros. A contagem de pontos será a soma de acertos em cada área do alvo. Haverá uma primeira fase eliminatória, que irá classificar para a segunda etapa somente 12 atletas que tiverem as melhores pontuações. Na segunda fase inicia-se uma nova contagem de pontos, que irá definir o primeiro, segundo e terceiro colocados.

Arremesso de lança - Cada delegação indígena deverá inscrever um atleta. Cada atleta terá o direito de realizar três arremessos durante a competição. A contagem de pontos que irá definir o primeiro, segundo e terceiro colocados será pela maior distância arremessada. Haverá apenas uma fase nesta prova.

Cabo de força - Poderão ser inscritas no máximo duas equipes por delegação indígena, uma  masculina e outra feminina. O time será composto por dez atletas e dois reservas. Na disputa será aplicado o sistema de eliminatória simples em todas as fases, até chegar a uma equipe vencedora.

Natação/travessia - Cada delegação indígena poderá inscrever no máximo duas equipes, uma feminina e uma masculina, composta de dois atletas, sendo essa modalidade uma prova individual. Haverá duas largadas - uma na prova masculina e a outra feminina.

Corrida de 100 metros - Cada delegação indígena poderá inscrever no máximo duas equipes, uma masculina e outra feminina, cada uma composta por dois atletas. Serão classificados para as séries seguintes somente os primeiros colocados, a serem definidos pela comissão técnica.

Corrida de fundo - Não há limite de inscrição de atletas para essa prova, que será de aproximadamente 5 mil metros, sendo essa modalidade uma prova individual masculina e outra feminina. Haverá duas largadas. A primeira será de prova feminina e, após 15 minutos, a largada da prova masculina. Será permitido aos competidores o reconhecimento do percurso antes da prova.

Corrida de tora - Prova válida apenas para atletas do sexo masculino. A competição será dirigida e observada por pelo menos cinco "juízes" neutros. Cada etnia deverá formar uma equipe com 10 atletas corredores e mais três reservas. Os competidores terão que dar duas voltas na pista, dentro da arena. Caso haja empate na segunda largada, haverá a terceira largada. A largada será sempre entre duas etnias (equipes) escolhidas previamente por sorteio. Será utilizado o sistema de eliminatória simples em todas as fases, até chegar a um vencedor.

Futebol masculino - Cada equipe indígena poderá inscrever no máximo 18 atletas. As partidas de futebol serão regidas pela Instrução Geral dos Jogos e pela regras em vigência na Confederação Brasileira de Futebol. O tempo de jogo será de 40 minutos, dividido em dois 20 minutos cada, com 5 minutos de intervalo para descanso.

Futebol feminino - Cada equipe indígena poderá inscrever no máximo 15 atletas. As partidas de futebol serão regidas pela Instrução Geral dos Jogos e pela regras em vigência na Confederação Brasileira de Futebol. O tempo de jogo que será de 40 minutos, divididos em dois tempos de 20 minutos cada, com 10 minutos de intervalo.


Carla Belizária
Foto: Francisco Medeiros
Ascom - Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no
Twitter e no Facebook

 

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla