Ministério do Esporte Medalhões e novos talentos se destacam no Troféu José Finkel de natação
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Medalhões e novos talentos se destacam no Troféu José Finkel de natação

A 46a edição do Troféu José Finkel reuniu na piscina da Universidade Santa Cecília, em Santos/SP, uma mescla de experiência e juventude. Se por um lado a competição ratificou a importância de nomes que acabaram de retornar do Mundial de Budapeste, como Joanna Maranhão, Etiene Medeiros, Léo de Deus e César Cielo, por outro deu oportunidade para novas estrelas aparecem na natação brasileira: Pedro Cardona, Fernando Scheffer, Vinícius Lanza, Pedro Henrique Spajari e entre outros. O Troféu José Finkel 2017, que foi realizado com recursos captados por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, terminou com o Esporte Clube Pinheiros campeão geral do torneio, seguido por Minas Tênis Clube e Unisanta.

Foto: Rafael Brais/MEFoto: Rafael Brais/ME

O secretário nacional de Esporte de Alto Rendimento, Rogério Sampaio, prestigiou o último dia de competição e participou da cerimônia de premiação. Para ele, eventos como o José Finkel ajudam a estruturar o esporte brasileiro e fortalecem cada vez mais os nadadores brasileiros. “O Troféu José Finkel é uma das principais competições do país e foi realizado em um lugar muito simbólico. A Universidade Santa Cecília, aqui de Santos, é uma grande incentivadora da natação e tem vários atletas na seleção”, afirmou.

Sampaio destacou também o apoio do Governo Federal ao esporte e, consequentemente, no desenvolvimento de espaços para a revelação de novos talentos. “Os clubes e atletas mais importantes da natação brasileira estiveram aqui. Foi uma experiência importante, com o patrocínio dos Correios, com verba viabilizada via Lei de Incentivo ao Esporte. Então, a gente vê o esporte brasileiro bem estruturado, os eventos acontecendo. E por isso que a natação brasileira tem tido excelentes resultados, como o que conseguiu no Mundial de Budapeste, retornando com sua melhor participação”, opinou.

No quinto e último dia de competição, os destaques foram Etiene Medeiros, que venceu os 50m nado livre com o tempo de 25s16; César Cielo, que voltou ao alto do pódio na prova em que se sagrou campeão olímpico: cravou 21s96 nos 50m livre. Já nos 800m, Joanna Maranhão, com o tempo de 8min37seg05, foi a campeã, deixando para trás Poliana Okimoto, bronze na maratona aquática dos Jogos Olímpicos Rio 2016. No revezamento 4x100 medley, Unisanta venceu no feminino e Minas Tênis Clubes no masculino.

Novos talentos

O diretor de Natação da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), Renato Cardoni, destacou a presença no Troféu José Finkel de atletas já consagrados e também o surgimento de novos nomes que deverão, em breve, integrar a seleção adulta. “Foi uma edição muito importante pois os atletas que voltaram de Budapeste estavam aqui, com exceção do Bruno Fratus. Isso é muito legal para toda a comunidade conviver com esses atletas. Muitos deles ganharam suas provas, como Etiene, Léo de Deus, Cielo, Gabriel (Santos), a Joanna (Maranhão)”, explicou.

Para Cardoni, a edição 2017 ratificou o José Finkel como celeiro de revelações da natação. “O que foi mais interessante em termos de novos talentos foi o Cardona, que ganhou os 100 metros nado peito; o Spajari, que foi segundo no 100 livre, mas no revezamento fez um tempo melhor que o campeão, na casa dos 48 segundos. O Vinicius Lanza, que ganhou os 100 metros borboleta e os 200 medley; o Fernando Scheffer, que ganhou os 200 livre na casa de 1minuto e 48 segundos. Todas essas foram marcas muito expressivas e é de gente nova que está chegando para tentar fazer as próximas seleções adultas, assim como a que foi para Budapeste agora”, disse.

Um dos grandes nomes da natação brasileiro, Nicholas Santos exibia com orgulho a prata conquistada no Mundial de Budapeste, onde se sagrou o nadador mais experiente a conquistar medalha na história da competição. Com as metas do ano cumpridas até aqui, Santos aprovou sua participação no José Finkel e, agora, vai descansar um pouco antes de voltar à rotina dos treinamentos. “O objetivo na competição era pegar as finais das provas de 100 mts, e eu consegui. E venci a prova dos 50 mts borboleta, fazendo novamente abaixo de 23 segundos. Agora é tirar duas semanas de férias para descansar e retomar os treinos. Estou bem cansado. Caí onze vezes na água pra nadar aqui. Faz parte, ajudei a equipe a pontuar em todas as provas. Foi superpositiva (a competição)”, disse.

Rafael Brais - Ministério do Esporte

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla