Ministério do Esporte Seleção Brasileira masculina de handebol é convocada para o primeiro compromisso após os Jogos Olímpicos Rio 2016
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Seleção Brasileira masculina de handebol é convocada para o primeiro compromisso após os Jogos Olímpicos Rio 2016

 CBHb CBHb
Pouco mais de três meses após o fim dos Jogos Olímpicos Rio 2016, a Seleção Brasileira masculina de handebol volta a se reunir. De 31 de outubro a 7 de novembro, um grupo de 18 atletas estará concentrado no ABC Paulista para treinamentos e para a disputa da terceira edição do Torneio Quatro Nações, nos dias 4, 5 e 6 de novembro, no Ginásio Poliesportivo Adib Moysés Dib, em São Bernardo do Campo (SP). Os brasileiros terão como adversários as seleções do Canadá, Chile e Cuba. 
 
Esta é a primeira convocação da Seleção sob o comando do técnico Washington Nunes, que assumiu o cargo após os Jogos Olímpicos Rio 2016. Mesmo sendo o início de uma longa jornada até Tóquio 2020, o treinador optou por não partir totalmente do zero, como era previsto, e convocou uma lista com a maioria dos atletas que já fizeram parte do ciclo anterior, comandado pelo espanhol Jordi Ribera. O principal objetivo é fazer uma avaliação pensando no Mundial da França, em janeiro de 2015.
 
“Fizemos o processo de convocação procurando manter uma grande base que foi aos Jogos Olímpicos, só que lá só podíamos ir com 14. Além disso, já havíamos discutido a importância de agregar jogadores mais jovens, como por exemplo o Ceretta, que é canhoto e de uma posição importante, que é o armador direito, e que com o Zeba encerrando a carreira na Seleção só temos hoje o José Guilherme e o Oswaldo. É um atleta com um perfil interessante, que tem 1,95m e hoje joga na Liga B da Espanha. Temos também o retorno do Wesley, trouxemos ainda o Panda, que é outro jogador alto e com a possibilidade de formar um segundo sistema defensivo, que é o 6-0. No gol, temos o Pedro, que é um menino novo e com um perfil que queremos trazer para a Seleção”, explicou detalhadamente o treinador. 
 
O Quatro Nações será um torneio fundamental para Washington fazer uma avaliação dos atletas antes do Mundial. “Queremos dar continuidade a todo o processo que foi feito até agora e nos prepararmos muito bem para o Mundial. A ideia não é sair de um ciclo que se fecha, mas manter um ciclo em continuidade, como um espiral. Cada vez que os atletas voltam ao ponto inicial, voltam melhores e com mais qualificação”, apontou. “Esta é uma fase de preparação e de transição. Vamos ter uma boa conversa com o grupo para mostrar quais são os pontos que queremos que sejam mantidos e quais os pontos que já queríamos acrescentar e que vamos poder fazer nessa etapa”, prosseguiu.
 
Após o Quatro Nações, a Seleção Masculina tem uma agenda cheia pela frente até o dia 11 de janeiro, quando estreia no Mundial da França contra os donos da casa. De 2 a 22 de dezembro, o time volta a se reunir para mais uma fase de treinamentos, em conjunto com a Seleção Júnior. No dia 2 de janeiro, se apresenta para treinamentos e jogos na Suíça e, no dia 9, viaja para a França, conforme a programação do técnico. “As expectativas são muito boas. A chave é difícil, mas as expectativas são boas por tudo que esse grupo desempenhou ao longo desses últimos quatro anos”, encerrou. 
 
Seleção Masculina de Handebol 
 
Goleiros - César Augusto de Almeida 'Bombom' (OIF Arendal-Noruega), Pedro Henrique Hermones Silva (Balonmano Cangas-Espanha) e Rangel Rosa (HC Odhorei-Romênia). 
 
Armadores - Gabriel Ceretta Jung (FC Barcelona-Espanha), Haniel Lângaro (BM Ciudad de Logroño-Espanha), José Guilherme de Toledo (Orlen Wisla Plock-Polônia), Leonardo Felipe Sampaio Santos (CB Ademar León-Espanha), Oswaldo Maestro Guimarães (Anaitasuna de Pamplona-Espanha) e Thiagus Petrus Gonçalves dos Santos (Mol-Pick Szeged-Hungria). 
 
Centrais - Henrique Selicani Teixeira (CB Huesca-Espanha) e João Pedro Francisco da Silva (Chambéry Savoie Handball-França).
 
Pontas - André Martins Soares 'Alemao' (Taubaté/Unitau/FAB-SP), Fábio Chiuffa (Kif Kolding Kobenhav-Dinamarca), Lucas Cândido (BM Guadalajara-Espanha) e Wesley Freitas (Taubaté/Unitau/FAB-SP). 
 
Pivôs - Alexandro Pozzer 'Tchê' (Fertiberia Puerto Sagunto-Espanha), Felipe Santaela 'Panda' (EC Pinheiros-SP) e Rogério Moraes Ferreira (WC Vardar-Macedônia).   
 
Comissão técnica
Técnico: Washington Nunes
Assistente técnico: Hélio Lisboa Justino
Supervisor: Cássio Marques
Treinador de goleiros: Diogo Castro
Preparador físico: Fernando Millaré
Fisioterapeuta: Gustavo Barbosa
 
Ascom - Ministério do Esporte
Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla