Ministério do Esporte Ministro visita em Palmas as áreas dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE

 
Conheça os principais programas e ações da Secretaria Especial do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Ministro visita em Palmas as áreas dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas

Marcado para ter início em 23 de outubro, os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas ganharam nesta terça-feira (28.07) um apoio aliado à certeza de que o cronograma para realização do evento será cumprido à risca. Em visita a Palmas para conferir os locais da capital tocantinense que abrigarão o evento, o ministro do Esporte, George Hilton, deixou a cidade satisfeito e tranqüilo em relação à evolução das obras e das ações do primeiro evento mundial indígena do planeta.
 
(Roberto Castro/ME)(Roberto Castro/ME)
 
Primeiramente, Hilton, acompanhado de uma comitiva do governo estadual e da prefeitura local liderada pelo governador Marcelo Miranda e pelo prefeito Carlos Amastha, visitou a Vila Olímpica, onde foi recebido por Kaly, mascote dos Jogos. Em seguida, conheceu os locais que abrigarão os atletas, as escolas municipais que receberão modalidades e a Universidade Federal de Tocantins, onde está sendo construída uma pista de atletismo. 
 
“A ideia de vir aqui hoje é mostrar que os três entes estão integrados, os governos federal, estadual e municipal, além do Comitê Intertribal. Unidos, faremos uma grande celebração e realizaremos um evento de sucesso, dentro do cronograma”, avialiou George Hilton.
 
O ministro destacou a importância dos Jogos para Palmas ser inserida na Rede Nacional de Treinamento, que fará parte do Sistema Nacional do Esporte, legado fundamental do ciclo de grandes eventos esportivos no país.
 
“O mais difícil era fazer um plano de legado. Nós já temos, e isso facilita muito em conversas com órgãos de fiscalização.Os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas deixarão um grande legado. Vamos integrar Palmas à Rede Nacional de Treinamento, como vem ocorrendo com outras cidades, pegando o embalo da Copa do Mundo do ano passado e dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do ano que vem. A ideia é que Palmas seja sede de outros eventos, tanto nacionais como internacionais. Eventos como esse trazem veículos de comunicação de diversos países do mundo. O objetivo é colocar a capital de Tocantins como centro esportivo”, completou Hilton.
 
(Roberto Castro/ME)(Roberto Castro/ME)
 
O governador de Tocantins, Marcelo Miranda, disse se sentir lisonjeado com a presença de George Hilton no estado e ficou ainda mais confiante após a conversa com o ministro. “Estou muito feliz com essa visita técnica. Espero que venha mais vezes. Ao ver a empolgação do ministro, fico ainda mais certo de que o evento será um sucesso.”
 
Diretor executivo do Comitê Nacional Executivo dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, Luiz Lobo enfatizou a importância da presença de Hilton na vistoria realizada nesta terça-feira: “Mostra que estamos fortes e prontos para receber esses Jogos. Até hoje todos lembram onde ocorreram os primeiros Jogos Olímpicos. Da mesma forma, sempre lembrarão que os primeiros Jogos Mundiais dos Povos Indígenas foram no Brasil. Agora, com as estruturas de base prontas, como iluminação e fontes de água, estamos prontos para, a partir do mês que vem, montar as estruturas temporárias e os equipamentos a serem utilizados pelos atletas durante o evento.”
 
(Roberto Castro/ME)(Roberto Castro/ME)
 
Visita ao Palácio 
Logo após visitar as obras que estão em andamento para os Jogos Indígenas, Hilton se reuniu no Palácio do Governo com Marcelo Miranda, o prefeito Carlos Amashta e outras autoridades de Tocantins.
 
Durante a conversa, o ministro do Esporte deixou claro o objetivo de interiorizar a prática do esporte no Brasil: “Desde quando assumimos o ministério, nossa ideia era descentralizar os eventos para que não fossem realizados apenas no eixo Rio-São Paulo. Agora estamos colocando em prática a interiorização da prática esportiva. Vamos construir módulos em cidades com até 50, 60 mil habitantes. Queremos que a população tenha acesso às atividades físicas para reduzirmos o sedentarismo no país”.
 
Petronilo Oliveira, de Palmas (TO)
Ascom - Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook
Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla