Ministério do Esporte Gestores públicos se reúnem em Brasília para acelerar construção de Centros de Iniciação ao Esporte
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Gestores públicos se reúnem em Brasília para acelerar construção de Centros de Iniciação ao Esporte

Foto: Paulino MenezesFoto: Paulino MenezesCom representantes de 131 prefeituras de todo o país, realizou-se nesta terça-feira (4.11), em Brasília, uma reunião entre gestores públicos dos Centros de Iniciação ao Esporte (CIEs) e responsáveis por projetos do Ministério do Esporte e também da Caixa Econômica Federal. O principal objetivo foi aproximar os participantes, visando a acelerar o processo de liberação de recursos para execução das obras.

Por meio do PAC2 (Programa de Aceleração do Crescimento), R$ 967 milhões do Orçamento da União foram reservados para projeto e construção de 285 CIEs em 269 municípios de todas as regiões brasileiras. Foram projetados três módulos distintos, com quadras multiuso e um deles com um minicomplexo de atletismo, para que as prefeituras escolhessem, também em acordo com o terreno disponível.

Os espaços permitem a formação de atletas de 13 esportes olímpicos (atletismo basquete, boxe, handebol, judô, lutas, tênis de mesa, taekwondô, vôlei, esgrima, ginástica, badminton e levantamento de peso), um não olímpico (futsal) e seis paraolímpicos (esgrima em cadeira de rodas, halterofilismo, judô, tênis de mesa, vôlei sentado e goalbol).

Depois de apresentações pela manhã, a tarde foi reservada para esclarecimentos de dúvidas com engenheiros e arquitetos do Ministério do Esporte que atuam na implantação dos CIEs.

Seleção
O Ministério do Esporte recebeu mais de 500 propostas de cidades interessadas nos CIEs e 285 foram selecionadas. O secretário nacional de Esporte de Alto Rendimento, Ricardo Leyser destacou que o sucesso da primeira implantação abre perspectiva para que os CIEs continuem no PAC2, “para que se abram chamadas até todo ano”, equipando o país na questão esportiva e “combatendo os mais pessimistas.”

Para esse sucesso, disse, é preciso cuidado para não se utilizar material inferior, por exemplo, em obras que têm medidas oficiais, e cumprir prazos. É o caso da entrega do projeto de adequação (depois de fundação, sondagem e implantação, podem ser necessárias adaptações) do CIE à Caixa, até 21 de novembro. O projeto é indispensável para que as fases seguintes, de licitação e construção, tenham sequência.

“Não é obrigatório, mas recomendo às prefeituras que façam foco em dois, três esportes, com os quais a cidade tenha afinidade, para que também sejam facilitadas parcerias com confederações quanto à parte técnica e de equipamentos”, disse Leyser. Segundo ele, em paralelo às obras, outras tarefas devem ser realizadas pelos gestores, como descrição das atividades propostas, contratação de profissionais, compra de material, formatação de calendário e planejamento de custos de operação e manutenção.

“Com a eleição do Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos de 2016, invertemos o processo. Passamos do alto rendimento para o desenvolvimento de base. Os CIEs passam a fazer parte da Rede Nacional de Alto Rendimento e podemos fazer pontes com programas como Atleta na Escola, Segundo Tempo, além das confederações e federações”, disse Leyser.

No caso do atletismo, por exemplo: 168 prefeituras optaram pelo módulo que tem o minicomplexo que pode receber crianças surgidas em escolas. Até 2016, lembrou o secretário, serão em torno de 50 pistas de atletismo pelo país, muitas em universidades federais, que podem absorver talentos desenvolvidos nos CIEs. “Assim, teremos um caminho para o atleta, de começo e desenvolvimento, para o profissionalismo.”

Também participaram do encontro João Luiz dos Santos, representando o ministro do Esporte, Aldo Rebelo; pela Caixa, o superintendente nacional de Transferência de Recursos Públicos, Júlio César Paixão Lopes, e o coordenador geral de Programas Estratégicos do Governo, Luiz Alberto Nozaki Sugahara, além do diretor do Departamento de Infraestrutura do Esporte do Ministério, Dennis Zacchi, e sua equipe de engenheiros e arquitetos.

Denise Mirás
Ascom - Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla