Ministério do Esporte Em Brasília, clube de golfe investe na nova geração em busca de talentos para o alto rendimento
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE

 
Conheça os principais programas e ações da Secretaria Especial do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Em Brasília, clube de golfe investe na nova geração em busca de talentos para o alto rendimento

Prédio da Escola de Golfe foi inaugurado no dia 21 de abril (Foto: Denise Mirás)Prédio da Escola de Golfe foi inaugurado no dia 21 de abril (Foto: Denise Mirás)

Crianças e jovens entre 7 e 17 anos podem ter aulas gratuitas no Clube de Golfe de Brasília, como parte do projeto implantado com recursos captados por meio da Lei de Incentivo. Já são 42 alunos treinando, divididos em quatro turmas, dentre eles as gêmeas Laura e Luíza Caetano, de 13 anos, que começaram no esporte em 2007, como conta Féres Jáber, o presidente do clube. “A Luiza foi até convidada para participar do maior torneio juvenil do mundo, agora em julho, em San Diego, nos Estados Unidos”, assinala, para destacar o trabalho de busca de talentos para esse esporte, que depois de 112 anos volta a ser olímpico nos Jogos do Rio 2016.

Na segunda-feira (21.04), foi inaugurado o espaço físico da Escola de Golfe de Brasília, ao lado do campo desenhado por Robert Trent Jones - um dos maiores especialistas do mundo – no clube que em 2014 completa 50 anos, construído por determinação de Juscelino Kubitschek, presidente à época.  Assim, as crianças têm chance de aprender a jogar golfe em um campo tombado pelo patrimônio histórico.

“A ideia da escola aberta ainda é da minha gestão anterior. Aqui, qualquer pessoa interessada pode entrar no clube e jogar. Não existe a necessidade de ser sócio, de ter carteirinha. Então, pensamos em trazer jovens para formação de golfistas, em busca de talentos para o esporte de alto rendimento. Está aberta para interessados de 7 a 17 anos. Aqui, temos cinco professores, um deles considerado o melhor ‘head pro’ do Brasil – o Gonzalo Berlim, que já trabalham com 42 alunos em quatro turmas – três iniciantes e uma avançada”, explica o presidente.

Para aprender, além do espaço físico e do material adequado, as crianças contam com metodologia criada por uma comissão do clube e formatada pelo head pro Gonzalo, com vivência no golfe na Europa e Estados Unidos.

Mais que espaço e equipamento, metodologia
“Temos dois projetos, para receber recursos via Lei de Incentivo ao Esporte”, continua o presidente do clube. “O primeiro projeto, que teve R$ 75 mil de recursos captados, foi para a compra dos equipamentos, importados da US Kid Golf, dos Estados Unidos, que fabrica os kits de acordo com o tamanho das crianças – e não de acordo com idade, como fazem fabricantes chineses”, disse.

O clube importou 40 kits, com uniformes, mochilas, tacos, bolas, alinhadores de putter, hot wire – que também são equipamentos para aprendizado. “Não ficamos devendo nada às escolas norte-americanas”, diz. “O segundo projeto, já aprovado para captação de recursos pelo Ministério do Esporte, será para manutenção, reposição de bolas, por exemplo, pagamento de professores e de lanche para as crianças. Já temos resposta dos empresários que investiram no primeiro projeto de que irão utilizar novamente a Lei de Incentivo.”

Mais parcerias
A busca de jovens interessados em aprender golfe já foi feita por meio de anúncios em jornal, diz Féres Jáber, ainda em 2009, para a ideia levada adiante pelos sócios do clube, como contrapartida à lei de concessão do terreno do Distrito Federal, antes do tombamento.

O clube ainda tem parceria com a confederação brasileira da modalidade (CBG), que mantém o projeto Golfe para a Vida – também com recursos via Lei de Incentivo ao Esporte – em escolas de alguns Estados do país. “No nosso caso, fizemos parceria com a Secretaria de Esporte do Distrito Federal, que tem 11 Centros Olímpicos e mais um em construção. Pelo projeto da CBG, são enviados equipamentos ingleses – para esse caso, são mais lúdicos. E já fizemos dois cursos aqui no clube para capacitação de professores. Nossa sugestão é que façam um campeonato entre os Centros Olímpicos e as crianças que se interessarem venham para nossa escola aberta”, explica Féres Jáber.

Confira vídeo produzido pelo Portal Brasil 2016 sobre o golfe:

Vídeo: Rodolfo Vilela

 

Denise Mirás
Ascom - Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla