Ministério do Esporte BNDES garante estrutura única para treinamento e desenvolvimento da canoagem brasileira
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

BNDES garante estrutura única para treinamento e desenvolvimento da canoagem brasileira




Os principais atletas da canoagem brasileira contam com estrutura de ponta na equipe permanente (Foto: Divulgação/CBCa)Os principais atletas da canoagem brasileira contam com estrutura de ponta na equipe permanente (Foto: Divulgação/CBCa)São 365 dias por ano convivendo, treinando e evoluindo ao lado dos melhores atletas brasileiros. Desde janeiro de 2013, a canoagem brasileira passou a contar com uma estrutura que, até então, era um sonho - reunir no mesmo local uma seleção permanente.  A Academia Brasileira de Canoagem (Abracan) proporciona a 33 atletas um suporte único, pensado e estudado para que os atletas se dediquem integralmente ao esporte.

O trabalho começou como uma experiência nova, sendo o primeiro centro de treinamento completo da modalidade no país. Desenvolvida pela Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa), a academia é patrocinada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com o valor de mais de R$ 3,5 milhões captados por meio da Lei de Incentivo ao Esporte.

Acompanhe a série de matérias sobre projetos da Lei de Incentivo:

Ministério do Esporte homenageia empresas que mais investiram no esporte


O projeto tem o objetivo claro de preparar e manter a equipe da canoagem, por meio de treinamentos permanentes, além de participações em competições nacionais e internacionais, como explica o gerente administrativo da Abracan, Luciano Moraes. “É um processo de evolução tanto para os atletas quanto para a área técnica e administrativa. Atualmente, temos um contato muito mais próximo entre a administração e os atletas. É um trabalho de longo prazo. Essa é a proposta do nosso patrocinador BNDES, que visa proporcionar o desenvolvimento da canoagem ao máximo possível. Tanto que já estamos preparando os atletas das categorias júnior e sub-23 que irão representar o Brasil nos Jogos Olímpicos de 2020, no Japão”, disse Luciano.   


O projeto é voltado para 33 atletas divididos em duas modalidades: caiaque velocidade e canoa. Os esportistas contam com acomodações, alimentação, transporte, estrutura de treino com raia, remo, embarcações, academia e laboratório científico. Os atletas contam com o suporte de equipe médica com fisioterapeuta, dentista, nutricionista, médico e psicóloga.

A ciência do esporte é outro instrumento utilizado pela Academia Brasileira de Canoagem que ajuda no desenvolvimento da modalidade no país. No laboratório de pesquisa do Centro de Desenvolvimento, o doutor Heros Ferreira faz exames para acompanhar a evolução técnica e biologia dos atletas durante todo o período de preparação para as competições.  


A menos de dois anos dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, a Academia intensifica a preparação dos canoístas de alto rendimento para colocar a canoagem no pódio olímpico. “Aqui estão reunidos os melhores do país. Com os atletas de alto nível convivendo, a competitividade é sempre maior. Eles também têm a oportunidade de participar de pelo menos quatro competições internacionais durante o ano para enfrentar os prováveis adversários que irão enfrentar em 2016”, explica o gerente da Abracan.

Os primeiros dois anos do projeto foram desenvolvidos na raia de Guarapiranga, no Yatch Club Paulista, em São Paulo. Atualmente, a seleção permanente está de mudança para Curitiba. O local de treinamento dos canoístas, a partir de janeiro de 2015, será o Parque Náutico do Iguaçu. Segundo Luciano Moraes, a mudança foi para dar mais tranquilidade aos atletas. “Curitiba é uma cidade mais tranquila. Por ser uma cidade muito grande, movimentada e cara, São Paulo tem muitas distrações para os jovens”, explica.  


OIsaquias conquistou em 2014 o bicampeonato Mundial (Foto: Divulgação/CBCa)Isaquias conquistou em 2014 o bicampeonato Mundial (Foto: Divulgação/CBCa)s frutos dos investimentos começam a ser colhidos. Em 2013, primeiro ano das atividades do projeto, foi histórico para a canoagem brasileira. A dupla Erlon e Ronilson trouxe para o Brasil uma medalha de ouro e outra de prata na terceira etapa da Copa do Mundo de Canoagem Velocidade na Polônia, e ouro do Sul-Americano de Canoagem Velocidade e Paracanoagem no Chile.

Já a medalha de ouro e de prata conquistada por Isaquias Queiroz, no Mundial de Canoagem Velocidade na Alemanha, marcou o ano com resultados inéditos para o Brasil.

Neste ano, o jovem Isaquias Queiroz seguiu fazendo história ao se tornar bicampeão no Campeonato Mundial de Canoagem Velocidade e Paracanoagem 2014, disputado na Rússia. O atleta também conquistou neste ano a medalha de bronze com Erlon de Souza, no C2 Masculino 200m, do mundial.

Prêmio Empresário Amigo do Esporte
No próximo dia 9 de dezembro será a quinta edição da cerimônia do Prêmio Empresário Amigo do Esporte, em São Paulo. O evento é uma homenagem do Ministério do Esporte às empresas e pessoas físicas que mais apoiaram e investiram no esporte nacional por meio da Lei de Incentivo ao Esporte (LIE).

Até o dia da premiação, e durante a cobertura da solenidade, as redes sociais do Ministério do Esporte (Facebook, Google+, Twitter e Instagram) compartilharão histórias e informações sobre a LEI pela hashtag #AmigoDoEsporte.

Regulamentada em 2007, a LIE permite que empresas e pessoas físicas invistam parte do que pagariam de Imposto de Renda em projetos esportivos aprovados pelo Ministério do Esporte. Empresas podem destinar até 1% desse valor e ainda acumular com investimentos proporcionados por outras leis de incentivo. O teto para pessoas físicas é de 6% do IR.

(Foto: Divulgação/CBCa)(Foto: Divulgação/CBCa)


Breno Barros
Ascom – Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla