Ministério do Esporte Por meio da Lei de Incentivo, BNDES apoia seleção brasileira de Canoagem Slalom
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE

 
Conheça os principais programas e ações da Secretaria Especial do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Por meio da Lei de Incentivo, BNDES apoia seleção brasileira de Canoagem Slalom

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) apoia, pelo terceiro ano consecutivo, a manutenção da equipe Permanente de Canoagem Slalom Brasileira, em Foz do Iguaçu. Com o valor de R$ 5,9 milhões, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, o projeto mantém o programa de treinamento unificado dos 24 melhores atletas das categorias oficiais da canoagem slalom praticada em corredeiras e com obstáculos.

Os canoístas permanecerão concentrados durante 12 meses para treinamento permanente, com apoio técnico, acompanhamento de profissionais da saúde, apoio para estudo e participações em competições oficiais.

O projeto é executado no Centro de Treinamento da Itaipu Binacional, onde o canal da piracema da hidrelétrica foi aproveitado para instalação da única pista artificial de corredeiras com obstáculos da América Latina. A pista é considerada pela Federação Internacional de Canoagem como uma das dez melhores para prática da modalidade no mundo.

A concentração de atletas em um só local permite economia de escala com gastos de manutenção e treinamento, além de ganho logístico relevante. Todos os canoístas receberão o mesmo tipo de treinamento, sob os cuidados dos mesmos profissionais, sob as mesmas condições de pista e com as mesmas orientações técnicas, por isso poderão ser avaliados sob os mesmos parâmetros.

A Federação Paranaense de Canoagem (Fepacan) selecionará os atletas com base na avaliação anual da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa). Os atletas selecionados permanecerão no projeto à medida que atingirem índices técnicos determinados pela CBCa. Aqueles que não cumprirem os critérios, durante a vigência do projeto, serão substituídos.

Mundial Júnior & Sub-23
Em abril, também com apoio do BNDES, Foz do Iguaçu receberá o Mundial Júnior & Sub-23, um aquecimento para avaliar os atletas nacionais visando aos Jogos Olímpicos de 2016.

O calendário da canoagem brasileira para 2015 inclui ainda a participação no Pan do Canadá e no Mundial Sênior do Reino Unido. Patrocinador oficial da modalidade desde 2011, o BNDES encerrou 2014 com uma carteira de 18 projetos apoiados, no valor total de R$ 32,7 milhões.

Conquistas
No ano passado, a mineira Ana Sátila, de 18 anos, trouxe da Austrália, em abril, a primeira medalha de ouro para o Brasil em um Mundial Júnior & Sub-23 de Canoagem Slalom, no K1 feminino. Até então, o único brasileiro a subir ao pódio havia sido o gaúcho Gustavo Selbach, em 1992, que conquistou o bronze no Mundial Júnior da Noruega.



No Pan do México, em julho, o domínio brasileiro foi absoluto: o país conquistou todas as medalhas de ouro em disputa. Ana Sátila ganhou duas, no K1 e C1 femininos. No masculino, as duas categorias foram vencidas por Pedro Henrique Gonçalves e Felipe Borges da Silva. O quinto ouro brasileiro ficou com a dupla Charles Corrêa e Anderson Oliveira, no C2 masculino.

Irmã de Ana Sátila, a mato-grossense Omira Maria Estância foi insuperável no Sul-Americano da Argentina, em dezembro, vencendo as finais do K1 e C1 femininos juniores e o C1 femininos sênior. Na mesma competição, o gaúcho Marcelo Nereu conquistou o ouro no C1 masculino júnior.

Fonte: BNDES
Ascom – Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla