Ministério do Esporte Dourados (MS) quer intensificar ações de esporte e lazer na Vila Olímpica Indígena
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Dourados (MS) quer intensificar ações de esporte e lazer na Vila Olímpica Indígena

Uma comitiva de Dourados (MS), liderada pelo deputado federal Geraldo Resende e integrada por autoridades ligadas ao esporte e à causa indígena, foi recebida nesta quarta-feira (22.05) pelo ministro do Esporte, Aldo Rebelo. Na pauta da reunião, duas questões principais: as ações a serem adotadas para garantir o pleno funcionamento da Vila Olímpica Indígena e as demandas de infraestrutura para impulsionar o esporte no município.

Composto pelo prefeito Murilo Zauith, o vereador indígena Aguilera de Souza, o secretário de Esporte do município, José Antônio Coca, e os lideres indígenas Wilmar Monteiro (Jaguapiru) e Leomar Mariano (Bororo), o grupo pediu a ampliação do atendimento na Vila Olímpica para indígenas que não são contemplados por ações do Ministério do Esporte. Atualmente, a estrutura erguida na reserva de Dourados é palco dos programas Segundo Tempo (PST) e Esporte e Lazer da Cidade (Pelc/Povos e Comunidades Tradicionais), realizados em parceria com a prefeitura. "Precisamos de monitores de modalidades como futebol, atletismo, vôlei e basquete para atendimento direto aos não beneficiados", defendeu o vereador Aguilera.

A Vila Olímpica Indígena, construída em 2011 pelo Ministério do Esporte, por meio de emenda parlamentar dos deputados federais Geraldo Resende e Fernando Gabeira, oferece dois núcleos do Segundo Tempo, que beneficiam 200 estudantes entre crianças e adolescentes índios, com a pratica de basquete, futsal e o atletismo.

Já o Pelc começou este ano com a capacitação de 15 pessoas, entre agentes sociais e coordenadores. As atividades desenvolvidas junto a 800 indígenas beneficiados diretamente incluem os esportes tradicionais cabo de guerra, corrida de tora, arco e flecha e danças, além de futebol, atletismo e artes manuais. O Pelc funciona de segunda a domingo, em três turnos, para atender todas as faixas etárias.

Índias craques no futebol
Segunda maior do país, a reserva de Dourados é semi-urbana e reúne 14 mil índios representantes de 13 etnias, como Guarani, Kaiowá, Terena, Jaguapiru e Bororo. O futebol é a coqueluche entre as mulheres indígenas. Prova disso é que o Ubiratan Esporte Clube, um dos mais tradicionais do Mato Grosso do Sul, mantém. uma equipe de futebol feminino dentro da aldeia.
 
As atletas índias representam o município em competições de nível estadual, com bons resultados. Recentemente, conquistaram o título de campeãs municipais de futebol feminino. "Elas precisam de um campo de futebol com estrutura. Os  três campos que existem na aldeia não possuem instalações como vestiários", afirmou o secretário de Esporte de Dourados, José Antônio Coca.

"Vamos dar prosseguimento às demandas", disse o ministro Aldo Rebelo, após ouvir os pedidos e colocar à disposição técnicos do Ministério do Esporte. "A coordenadora de Futebol Feminino do Ministério do Esporte, a ex-atleta Michael Jackson, vai conferir de perto o talento da equipe em Dourados", garantiu.

Carla Belizária
Foto: Francisco Medeiros
Ascom - Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla