Ministério do Esporte Delegação brasileira no Pan tem 333 contemplados pelo Bolsa Atleta
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE

 
Conheça os principais programas e ações da Secretaria Especial do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações:  (61) 3217-1875E-mail:O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Delegação brasileira no Pan tem 333 contemplados pelo Bolsa Atleta

Mesmo sem contar com a lista do vôlei feminino, prevista para ser divulgada apenas depois do Pré-Olímpico da modalidade, na semana que vem, a presença direta do Bolsa Atleta nos Jogos Pan-Americanos de Lima já chega a 333 dos 485 atletas brasileiros inscritos na competição continental. O investimento do programa federal no grupo é de R$ 14,6 milhões ao ano. Há um equilíbrio quase perfeito de gênero, com 166 homens e 167 mulheres na lista.

Em termos percentuais, 70% dos atletas de modalidades que atualmente figuram no programa dos Jogos Olímpicos recebem o incentivo da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania. Um contingente expressivo, de 68, faz parte da categoria mais alta do programa, a Bolsa Pódio, voltada para esportistas que figuram entre os 20 melhores do mundo em suas especialidades. Os outros estão nas categorias olímpica (83), internacional (95) e nacional (87).

Em dez das modalidades, 100% dos convocados para o Time Brasil são beneficiados. São os casos de badminton, canoagem slalom, canoagem velocidade, ginástica rítmica, ciclismo de estrada, ciclismo de pista, maratonas aquáticas, pentatlo moderno, tiro com arco e triatlo.

Delegação do badminton no Pan de Lima: 100% dos atletas são integrantes do Bolsa Atleta. Foto: Abelardo Mendes Jr./rededoesporte.gov.brDelegação do badminton no Pan de Lima: 100% dos atletas são integrantes do Bolsa Atleta. Foto: Abelardo Mendes Jr./rededoesporte.gov.br

Em outros esportes, como boxe, wrestling e tiro esportivo, 100% das mulheres recebem o incentivo. Já na ginástica artística, no remo, na esgrima e no tênis de mesa, todos da seleção masculina estão na relação do Bolsa Atleta. Modalidades entre as mais tradicionais do programa olímpico e com grande número de integrantes, a natação tem 86% dos atletas como bolsistas e o atletismo, 80%.

"Estamos muito contentes. Estamos indo para Lima assistir à Abertura dos Jogos e para os encontros com atletas e dirigentes com muita confiança na equipe brasileira. Dos quase 500 atletas, cerca de 70% recebem a Bolsa Atleta, que nós recuperamos e estamos ampliando, para que tenhamos mais medalhas não só no Pan, mas também nas Olimpíadas de Tóquio. A nossa ideia é que o país se torne uma potência esportiva em várias áreas", afirmou o ministro da Cidadania, Osmar Terra, momentos antes de embarcar para a capital peruana, no fim da tarde desta quinta-feira, 25.07.

"O número expressivo de bolsistas do governo federal na delegação brasileira dos Jogos Pan-Americanos de Lima reforça a importância do Bolsa Atleta como política pública de incentivo ao esporte de alto rendimento. É o maior programa do mundo de patrocínio direto ao atleta e será sempre uma prioridade", destacou o secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Décio Brasil. Por conta de sua participação na Conferência dos Ministros da Juventude e Desporto da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Luanda, Décio Brasil não irá ao Pan, mas já confirmou presença em Lima durante os Jogos Parapan-Americanos, que começam em 23 de agosto.

"Vamos ter um encontro com representantes do Comitê Olímpico do Brasil (COB) e com presidentes de confederações esportivas. A intenção é interagir e ficar mais próximo. Daqui a um ano vamos ter nosso evento máximo e acho que o apoio do governo federal e do COB aos atletas é essencial nisso", disse Emanuel Rego, titular da Secretaria Nacional de Esporte de Alto Rendimento do Ministério da Cidadania, que acompanha o ministro Osmar Terra na viagem a Lima.

A agenda do ministro e do secretário inclui, além da Cerimônia de Abertura dos Jogos Pan-Americanos, um momento de encontro com atletas da delegação nacional. "É importante saber quais são as demandas deles, ver direitinho o que estão precisando na preparação para as grandes competições. Claro que eles estão lá num instante de foco, mas também dá para ouvir e entender o que eles precisam para ver como podemos atender essas necessidades", completou Emanuel.

Os Jogos

A Cerimônia de Abertura será nesta sexta, 26.07, no Estádio Nacional de Lima, a partir das 21h (de Brasília). Os Jogos Pan-Americanos de Lima reúnem quase sete mil atletas de 41 países, na disputa de 39 esportes em 61 modalidades. São mais de 400 provas em 20 arenas divididas em cinco grandes complexos esportivos. Em 22 modalidades, o megaevento continental vale vaga direta ou conta pontos na disputa por um lugar nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

A delegação brasileira vai disputar a competição em 49 modalidades. O objetivo principal do Comitê Olímpico do Brasil é classificar o maior número de atletas e esportes para as Olimpíadas do Japão e melhorar o desempenho esportivo em relação às edições anteriores do Pan.

Nos Jogos de Toronto, no Canadá, em 2015, a equipe brasileira subiu ao pódio 141 vezes, com a conquista de 42 medalhas de ouro. Até hoje, a melhor participação nacional foi em casa, no Rio 2007, quando o Brasil faturou 157 medalhas, 52 de ouro. Desde então, o país figura sempre na terceira colocação do quadro geral de medalhas, atrás de Estados Unidos e Canadá.

Gustavo Cunha e Jéssica Barz - rededoesporte.gov.br

 

 
Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla