Ministério do Esporte Novo marco regulatório do futebol começa a ser discutido na Secretaria Especial do Esporte
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE

 
Conheça os principais programas e ações da Secretaria Especial do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações:  (61) 3217-1875E-mail:O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Novo marco regulatório do futebol começa a ser discutido na Secretaria Especial do Esporte

Secretário Ronaldo Lima, durante apresentação do plano estratégico para o futebol profissional. Foto: Adalberto Scigliano/Ministério da CidadaniaSecretário Ronaldo Lima, durante apresentação do plano estratégico para o futebol profissional. Foto: Adalberto Scigliano/Ministério da Cidadania
Quatro dias após a comemoração do Dia Nacional do Futebol, o novo diretor de Futebol Profissional da Secretaria Nacional do Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor (SNFDT), Dagoberto dos Santos, apresentou, na tarde da última terça-feira (23.07), uma análise panorâmica do futebol brasileiro.
 
Representando o secretário especial do Esporte, Décio Brasil, estiveram presentes à reunião o secretário adjunto da Secretaria Especial do Esporte, Marco Aurélio Araújo, e o diretor de Projeto Celso Perlucio. 
 
Dagoberto dos Santos iniciou a apresentação fazendo uma análise profunda e realista sobre o atual momento do futebol brasileiro. Com base no estudo – que orientou os principais pontos de atuação de curto, médio e longo prazo – o diretor expôs um organograma de ações para revisão da legislação do futebol.
 
Como primeiro passo, o diretor propôs a criação de uma comissão temporária de futebol profissional – em que membros, nomeados sem remuneração, irão reunir-se periodicamente para analisar e debater a atual Lei Pelé, além de todas as propostas sobre o tema em tramitação no Congresso Nacional.
 
Dagoberto dos Santos, Diretor de Futebol Profissional da SNFDT. Foto: Adalberto Scigliano/Ministério da CidadaniaDagoberto dos Santos, Diretor de Futebol Profissional da SNFDT. Foto: Adalberto Scigliano/Ministério da Cidadania
 
“Nossa primeira ação será reunir, com a ajuda de um relator, as visões e experiências de profissionais que representam e participam ativamente do mundo do futebol: advogados de direito desportivo, executivos de futebol, presidentes de clubes das séries A e B, presidentes de federações, técnicos e jogadores de futebol. Paralelamente, identificaremos e analisaremos todos os projetos de lei existentes, com o objetivo de reunir em um único diploma legal soluções inovadoras para a proposição de um novo marco regulatório. Por isso, tanto a realização das câmaras temáticas como a participação e apoio dos parlamentares interessados no crescimento do futebol profissional serão de grande valia para a SNFDT”, afirmou.
 
Secretário Ronaldo Lima, durante apresentação do plano estratégico para o futebol profissional. Foto: Adalberto Scigliano/Ascom - Cidadania
 
O secretário nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor, Ronaldo Lima, salientou que o plano da Diretoria de Futebol Profissional está perfeitamente integrado ao Plano Estratégico da SNDFT: “Neste momento, todas as áreas de nossa secretaria estão voltadas para um bem comum: o fortalecimento do futebol brasileiro em sua plenitude. As áreas de futebol profissional, amador, feminino e até os direitos do jogador e dos torcedores contam hoje com profissionais experientes e capazes de debater e compreender as necessidades e, porque não, oportunidades de cada segmento dessa cadeia de valor. Em breve, iremos propor mais ações que irão contribuir de maneira definitiva para o desenvolvimento sustentável do esporte mais importante e amado do Brasil”, ressaltou o secretário. 
 
O secretário adjunto de Esportes, Marco Aurélio Araújo, elogiou a qualidade do trabalho desenvolvido pelo grupo e se mostrou bastante impressionado com o conteúdo. ” Sem dúvida, trata-se de um plano bastante estruturado e audacioso, mas, não tenho dúvidas de que temos profissionais capazes de executá-lo, de forma a instituir o futebol como “Patrimônio Cultural do Brasil”, finaliza Marco Aurélio Araujo.
 
Adalberto Scigliano – Ministério da Cidadania
 
 
 
Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla