Ministério do Esporte Brasil busca manter hegemonia continental no Parapan de Lima 2019
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE

 
Conheça os principais programas e ações da Secretaria Especial do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações:  (61) 3217-1875E-mail:O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Brasil busca manter hegemonia continental no Parapan de Lima 2019

A partir de 23 de agosto, os brasileiros terão a oportunidade de acompanhar a mais alta performance dos atletas paralímpicos das Américas. Serão nove dias de disputas durante os Jogos Parapan-Americanos de Lima, no Peru. Com cerca de 300 atletas brasileiros, a delegação nacional brigará por medalhas em 17 modalidades. Badminton, taekwondo e tiro esportivo estreiam no megaevento continental. A meta é voltar para casa com a liderança no quadro geral de medalhas, para manter a hegemonia continental.

A sexta edição do evento será a maior da história, com 1.890 atletas de 33 países. O Brasil foi o maior medalhista das últimas três edições do Parapan. No Rio de Janeiro, em 2007, conquistou 228 pódios. Quatro anos depois, em Guadalajara, no México, foram 197 medalhas. Em Toronto, no Canadá, em 2015, o país conquistou 257 medalhas: 109 de ouro, 74 de prata e 74 de bronze.

CT Paralímpico de São Paulo é o principal legado dos Jogos Rio 2016 para o esporte adaptado. Foto: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.brCT Paralímpico de São Paulo é o principal legado dos Jogos Rio 2016 para o esporte adaptado. Foto: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br

"O planejamento estratégico do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) de 2017 até 2025 traçou a meta de continuarmos a nossa performance dos últimos Parapan-Americanos. Ou seja, liderar o quadro de medalhas e, logicamente, aumentar a quantidade e a qualidade das medalhas conquistadas na edição de Toronto 2015. A meta é continuar em primeiro lugar das Américas", afirmou o diretor técnico do CPB, Alberto Martins da Costa.

Para alcançar a meta de manter a hegemonia continental, os brasileiros contaram pela primeira vez com toda a estrutura do Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, durante todo o período entre as edições de Parapan 2015-2019. Há três anos em operação, o CT recebeu, do antigo Ministério do Esporte, investimento de R$ 187 milhões, sendo R$ 167 milhões na construção e outros R$ 20 milhões em equipagem.

"Ter uma estrutura com condições de atender os atletas e os profissionais da área esportiva é um sonho acalentado pelo Centro de Treinamento. O CT está sendo de fundamental importância em todos os aspectos, não só técnicos, mas em suporte aos atletas nas áreas de saúde, de reabilitação, de nutrição, de psicologia e do conforto na mesma instalação. É o grande legado que a gente acalentou em sonho há anos", analisou Alberto Martins.

Escala para Tóquio

Lima 2019 é considerada passo importante na preparação dos atletas para os Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020. Das 17 modalidades em disputa, em 13 a competição valerá classificação direta ou pontos estratégicos para os atletas chegarem às Paralimpíadas de Tóquio. O basquete em cadeira de rodas, por exemplo, distribuirá vagas diretas aos três primeiros no masculino e às duas melhores equipes do feminino. A classificação direta também estará em disputa no tênis de mesa, no tênis em cadeira de rodas e no vôlei sentado. Já em modalidades como bocha, halterofilismo, taekwondo e judô, estão em jogo pontos no ranking.

"Os Jogos Parapan-Americanos têm um nível grande de importância para o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). Primeiro, porque é um grande evento e um degrau importante para aferir a nossa preparação para os Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020, assim como para os Mundiais das modalidades. As vagas distribuídas para Tóquio mostram que os Jogos de Lima serão de extrema importante, não só para o Brasil, mas para todos das Américas", completou.

Roupa nova

Durante o Parapan, os atletas irão estrear os novos uniformes esportivos, de pódio e de passeio, que serão utilizados na Vila dos Atletas dos Jogos Parapan-Americanos de Lima. "Nós vamos lançar o nosso novo enxoval às vésperas da saída para Lima. O CPB hoje não tem nenhum patrocínio de material esportivo e a entidade desenhou a própria grife", revelou.

Breno Barros – rededoesporte.gov.br

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla