Ministério do Esporte Medalhista Olímpica, velocista de Teresina se despede dos Jogos Escolares com ouro e coleção de fãs
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Medalhista Olímpica, velocista de Teresina se despede dos Jogos Escolares com ouro e coleção de fãs

Quando Letícia Mariano Nonato, do Colégio Certo, de Teresina (PI), colocou as sapatilhas e pisou na pista de atletismo na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (URFN), os jovens sabiam que todas as credenciais da adolescente de 17 anos eram de gente grande. Letícia tem uma medalha olímpica guardada no lugar especial no seu quarto. O bronze na prova dos 200 metros nos Jogos Olímpicos da Juventude, disputados neste ano em Buenos Aires, na Argentina, mudou a recente carreia da velocista, ampliou o número de admiradores no esporte e deixou os sonhos mais ambiciosos.

Foto: Alexandre Loureiro/Exemplus/COBFoto: Alexandre Loureiro/Exemplus/COB

No primeiro dia de provas de atletismo nos Jogos Escolares da Juventude, Letícia confirmou favoritismo e aumentou a coleção de ouros ao vencer a prova dos 100 metros, com o tempo de 11s72. Por conta da idade, a jovem se despede dos Jogos Escolares na sua quinta participação no evento. Ela ainda encara as provas de 200m e de revezamento 4x4. A medalha de prata dos 100m ficou com a Sabrina Santos, do colégio Estadual Nelson Mandela (SE), com o tempo de 12s14, e o bronze Mikaely Demo, da escola EEB Abílio Cesar Borges (SC), com 12s27.

“Infelizmente é a minha última participação, pois gosto bastante do clima dessa competição. Os Jogos são importantes porque você revê todos os amigos, tem várias brincadeiras no Centro de Convivência, que acaba distraindo você do foco do esporte. Na minha primeira participação conquistei o título nos 250metros. Em 2015, não levei a sério e brinquei bastante e voltei para casa sem medalha. Já na categoria 15-17 anos eu levei a medalha de prata nos 400m em 2016. No ano passado fui campeã dos 400 e 200 metros”, relembrou.

Letícia começou no esporte aos 13 anos na cidade de Timon, no Maranhão, mas conseguiu os primeiros resultados na carreia depois que atravessou a ponte que divide a cidade maranhense com Teresina, no Piauí. “Participei da prova da Maratoninha da Caixa e voltei para casa com uma bicicleta. Foi a minha primeira medalha. Essa bicicleta tem um valor especial, porque foi fundamental para que hoje estar aqui. No ano seguinte dessa medalha eu fui campeã dos Jogos Escolares”, relembrou. Até hoje ela atravessa a ponte para representar o Centro de Treinamento (CT) Piauí nos treinos na pista de Atletismo na Universidade Federal do Piauí.

O bronze nos Jogos Olímpicos da Juventude foi, sem dúvida, a maior conquista da carreira de Letícia. “Os Jogos Olímpicos da Juventude foi uma experiência bastante inesquecível, nunca vou esquecer. Lembro como se fosse hoje do momento que conquistei a medalha de bronze, subi ao pódio e vi toda a galera gritando. Foi de arrepiar. Foi um aprendizado vou levar para o resto da minha vida”, revelou.

Além de Letícia Mariano Nonato, as provas de atletismo dos Jogos Escolares contam com outros 10 atletas que representaram o Brasil nos Jogos Olímpicos da Juventude de Buenos Aires 2018. Esse pequeno grupo é observado com admiração por muitos adversários e colegas durante as atividades dos Jogos. “É bastante gratificante. Todo lugar onde vou tem alguém pedindo para tirar foto comigo. Eu fico meio envergonhada, mas é bem gostoso ouvir de outras pessoas que você é inspiração para ela. Quero continuar trabalhando mais ainda para surpreender todos dentro da pista”, conta.

Breno Barros, de Natal (RN)
Ascom – Ministério do Esporte

 

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla