Ministério do Esporte Projeto em Santa Catarina oferece educação para jogadores das categorias de base de times de futebol
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Projeto em Santa Catarina oferece educação para jogadores das categorias de base de times de futebol

Uma tabelinha entre as áreas da educação e do esporte levou à criação, em Florianópolis, de um projeto que busca garantir a conclusão do ensino fundamental aos jogadores das categorias de base do Avaí e do Figueirense, os dois principais times de futebol de Santa Catarina. Batizado de “Floripa Gol de Letra”, o programa foi lançado oficialmente nesta sexta-feira (31.08), na Prefeitura de Florianópolis.
 
A iniciativa já entrou em campo, com o funcionamento de duas turmas, de segunda a sexta, no período noturno. Uma delas fica no Estádio Orlando Scarpelli, sede do Figueirense, e tem 20 estudantes. A outra está em atividade na escola Ildefonso Linhares, perto do Estádio da Ressacada, do Avaí. São 26 alunos atendidos.Jogadores das categorias de base do Figueirense e do Avaí são atendidos pelo projeto (Foto: Francisco Medeiros/ME)Jogadores das categorias de base do Figueirense e do Avaí são atendidos pelo projeto (Foto: Francisco Medeiros/ME)
 
O Floripa Gol de Letra faz parte de um programa mais amplo, chamado de Educação de Jovens e Adultos (EJA), que conta com nove núcleos e 25 polos, distribuídos em todas as regiões de Florianópolis. São beneficiadas pessoas com idades entre 15 e 85 anos. No caso dos clubes de futebol, o objetivo é atender também a funcionários e moradores das comunidades do entorno de cada estádio.
 
A cerimônia de lançamento do Floripa Gol de Letra contou com a presença do prefeito Gean Loureiro, do secretário municipal de Educação, Maurício Pereira, do secretário municipal de Cultura, Esporte e Juventude, Márcio Luiz Alves, e do ministro do Esporte, Leandro Cruz.
 
“Independentemente de vir a ter sucesso na carreira de jogador profissional, o jovem conta com a garantia de acesso à educação formal. É um programa que vai cumprir papel primordial na vida desses garotos”, disse o ministro.
 
O Figueirense foi representado pelo ex-jogador Fernandes, hoje atuando como gerente de futebol do clube, e o Avaí, pelo coronel José Cordeiro Neto, coordenador das categorias de base. Cinco jogadores juvenis dos times catarinenses também participaram da cerimônia.
 
Tênis
Após o lançamento do projeto Floripa Gol de Letra, o ministro Leandro Cruz foi à sede da Confederação Brasileira de Tênis (CBT) e da Federação Catarinense de Tênis (FCT), onde conheceu a estrutura das entidades e programas socioesportivos desenvolvidos em Florianópolis.Ymanitu Silva é o oitavo do mundo na categoria Quad do tênis em cadeira de rodas (Foto: Paulo Rossi/ME)Ymanitu Silva é o oitavo do mundo na categoria Quad do tênis em cadeira de rodas (Foto: Paulo Rossi/ME)
 
A sede da CBT/FCT abriga o projeto social “Correios Transformando pelo Tênis”, que beneficia 40 estudantes da rede pública de ensino, entre 9 e 12 anos, no contraturno escolar, com aulas de tênis, reforço escolar e de inglês.
 
Outra iniciativa é o programa inclusivo de tênis em cadeira rodas, que apresenta resultados significativos: Ymanitu Silva entrou na lista de top 8 do mundo na categoria Quad, enquanto Fábio Torquatto é o terceiro melhor atleta juvenil do planeta.
 
O presidente da CBT, Rafael Westrupp, mostrou ao ministro o complexo de cinco quadras de tênis e destacou o sucesso no trabalho com atletas juvenis e na capacitação de árbitros: “Hoje somos o país com mais jogadores no top 100 infanto-juvenil. São oito brasileiros na lista. E tivemos 12 juízes atuando no Torneio de Wimbledon”.
 
Paulo Rossi, de Florianópolis
Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla