Ministério do Esporte Brasil garante três vagas para Tóquio 2020 na vela
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Brasil garante três vagas para Tóquio 2020 na vela

A delegação brasileira encerrou o Campeonato Mundial de Vela, na cidade de Aarchus, na Dinamarca, com três vagas garantidas para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020: Martine Grael e Kahena Kunze (classe 49erFX), Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino (Nacra 17) e João Pedro Souto (Laser). Nas demais categorias, os velejadores brasileiros ainda têm chance em dois pré-olímpicos, nos Mundiais de 2019 e em eventos continentais.

Dupla campeã olímpica, Martine Grael e Kahena Kinze, garante vaga em Tóquio. Foto: DivulgaçãoDupla campeã olímpica, Martine Grael e Kahena Kinze, garante vaga em Tóquio. Foto: Divulgação

Na classe 49erFX, as campeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze ficaram em quarto lugar no Mundial, garantindo uma das vagas olímpicas. Após um ano sem treinar juntas, o resultado no mundial foi considerado positivo pelas velejadoras. "Viemos aqui para garantir uma vaga na Olimpíada e conseguimos. Ficamos felizes que fomos muito bem, velejamos entre as melhores o tempo inteiro. Agora, o foco já está na Olimpíada. Vamos passar um mês no Japão para entender as condições climáticas de lá", disse Martine.

Outro bom resultado veio na classe Nacra 17. O time formado por Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino terminou em quinto lugar a competição. A dupla chegou ao último dia com chances de medalha, mas a regata final acabou não acontecendo por falta de ventos. "A gente correu o primeiro campeonato juntos, a dupla tem pouco tempo, juntamos forças e experiência para atingir o resultado. Aprendemos um com outro e, a cada dia, fomos melhorando. Estamos felizes por estarmos sólidos entre os melhores do mundo", disse Samuel.

João Pedro Souto, um dos nomes da nova geração da vela, colocou o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Aos 23 anos, ele ficou em 19º na competição, que contou com a presença de 165 velejadores. "Foi até uma surpresa. O meu primeiro objetivo antes do Mundial começar era me manter na metade de cima da tabela e depois tentar alguma coisa melhor. E acabou que eu fiquei em 19º e classifiquei o Brasil para os Jogos e foi excelente", analisou João Pedro.

Na 49er, Carlos Robles e Marco Grael terminaram em 26º lugar. Na RS:X feminina, Patrícia Freitas ficou em 20º e, no masculino, Brenno Francioli acabou em 71º. Na 470 feminina, Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan ficaram em 14º, enquanto no masculino, Geison Dzioubanov e Gustavo Thiesen fecharam em 34º, e Felipe Brito e Henrique Haddad, em 39º. Na Finn, Jorge Zarif foi o 18º. Na Laser Radial, Gabriella Kidd foi a 68ª colocada.

Fonte: Confederação Brasileira de Vela

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla