Ministério do Esporte No Rio, parceria garante projetos esportivos sociais no Parque Olímpico da Barra
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

No Rio, parceria garante projetos esportivos sociais no Parque Olímpico da Barra

A Autoridade de Governança do Legado Olímpico (AGLO) firmou acordo de cooperação, na última quarta-feira (28.02), com o Instituto Reação, Instituto Irmãos Nogueira, Team Águia Footvolley e com a Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (Snelis) do Ministério do Esporte para desenvolver ações sociais que irão atender cerca de 700 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social no Parque Olímpico da Barra, no Rio de Janeiro.

“Nós somos responsáveis por contribuir de alguma forma para amenizar o problema da violência que assola nossa cidade, onde inclusive, vemos crianças tomando tiros, consumindo entorpecentes e se envolvendo com a criminalidade. E para superarmos isso, nada melhor do que trazer esses parceiros para dentro do Parque Olímpico da Barra. Até para nos voltarmos aos projetos de alto rendimento, a gente tem que pensar nos [projetos] de base, na possibilidade de descoberta de novos campeões de medalhas e da vida”, destacou Paulo Márcio, presidente da AGLO.

O coordenador do projeto Esporte e Cidadania para Todos do Ministério do Esporte, Liomar Monteiro, anunciou a ampliação das atividades esportivas de 400 para 700 crianças e jovens. A ideia é oferecer aos futuros alunos, aulas de novas modalidades como ciclismo e handebol no Velódromo e na Arena 2, respectivamente. O projeto já realiza aulas de futsal, basquete, vôlei, judô e jiu-jítsu no Parque.

 

Exemplo de superação e referência mundial no futevôlei, Anderson Águia lembrou que vem de uma comunidade carente, mas que, por meio do esporte, já alcançou grandes voos. “Fico muito lisonjeado de participar desse trabalho com grandes projetos para essa iniciativa de incluir as crianças na sociedade. Fui criado na Rocinha e tive a oportunidade de viajar diversos países representando o futevôlei, a minha bandeira e a comunidade da minha cidade. E por meio do esporte consegui adquirir um bom estudo, trabalho e conhecimento. Hoje posso dizer que vivo integralmente do futevôlei. Sou atleta e atual campeão brasileiro com alguns mundiais. Quero levar alegria e esporte para essas crianças, especialmente das comunidades do entorno do Parque”, disse Anderson, ao garantir que as atividades terão início no mês de março e serão realizadas na quadra externa de areia do Parque, construída pela AGLO com recursos de contrapartida de eventos esportivos já realizados.

Representando o Instituto Reação, que vai oferecer aulas de judô para as crianças, Geraldo Bernardes demonstrou expectativa sobre o novo projeto e garantiu participação da meio-leve Raquel Silva, irmã da medalhista olímpica brasileira, Rafaela Silva.

“O núcleo aqui será uma das maiores opções que teremos graças a essa parceria que estamos fazendo com a AGLO. Vamos fazer o possível para que alunos venham futuramente representar o Brasil com medalha olímpica como aconteceu com a judoca Rafaela. A irmã dela, a Raquel, será uma das professoras aqui do Parque. Espero que com isso saiam muitas ‘Rafaelas’, não somente pelo sucesso esportivo, mas também pela transformação social, assim como ocorreu na vida dela”, lembrou Bernardes.

Renan Schineider, do Instituto Irmãos Nogueira, também agradeceu a oportunidade da parceria com a AGLO para o desenvolvimento do projeto social de Minotauro e Minotouro, lutadores de UFC, que entram no convênio com aulas de boxe, jiu-jitsu e MMA na Arena 2.

“Estamos muito orgulhosos de poder implementar nosso núcleo aqui e acreditamos que por meio desses campeões – dos quais usamos os nomes, a exemplo dos Nogueira; poderemos fazer diferença na vida dessas crianças e jovens. É uma maneira de dar uma segunda oportunidade na vida delas e garantir um novo rumo!”, comemorou Schineider.

Fonte: AGLO
 

Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla