Ministério do Esporte Carta da Comissão Nacional de Atletas (CNA)
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Carta da Comissão Nacional de Atletas (CNA)

Quando, no ano de 1978, Renato Russo escreveu “Que País é Este”, letra baseada na situação em que o Brasil se encontrava, ainda aguardou esperançosamente por mudanças que não ocorreram até o lançamento da música, quase 10 anos depois. A letra é tão verdadeiramente incrível e atual que até os dias de hoje é ouvida, cantada e admirada pelo povo brasileiro. Se Renato fosse escrever a canção inspirado pela situação hoje vigente no país, provavelmente não teria muito o que mudar.
 
A Comissão Nacional de Atletas (CNA), composta por um grupo seleto de guerreiros que defenderam o Brasil dentro dos campos, quadras, tatames e em qualquer outro local de competição, e agora também defendem fora deles, não poderia deixar de se posicionar em relação ao fato ocorrido na última quarta-feira. Uma das mais importantes reinvindicações dos principais atores do esporte foi frustrada.
 
Em oportunidade única que o Comitê Olímpico do Brasil (COB) nos deu para termos maior representatividade nos trabalhos, nas decisões e no futuro do esporte, por intermédio do aumento de nossa participação, atualmente inexpressiva, para 1/3 do colégio eleitoral, tivemos uma votação equilibrada, que nos daria o direito de representação de forma mais efetiva junto ao COB. Por incrível que pareça, após a votação finalizada e empatada, um dos votos foi anulado devido a ausência de um dos dirigentes esportivos que representou uma das modalidades. No início da reunião, esse dirigente havia se posicionado a favor do aumento da participação dos atletas, porém, em virtude de compromisso, teve que se ausentar.
 
Que país é este? Que dirigentes são estes que inibem e calam a opinião de seus principais atores? O que seria das entidades se não fossem os atletas?
 
Uma entidade esportiva sem atletas não existe, mas atletas autônomos conseguem realizar seu esporte sem a presença de dirigentes. Que país, que dirigentes são estes que esmagam a opinião dos atletas, os verdadeiros responsáveis pela manutenção dos dirigentes em seus respectivos cargos? Atletas que defendem com suor e sangue seu esporte, sua entidade, seu país e que acabam virando meros fantoches para pseudodirigentes esportivos.
 
Uma entidade esportiva não pode ficar nas mãos de pessoas que sequer vestiram um uniforme, um quimono. Pessoas que não sentiram na pele as dificuldades de se manter no esporte, muitas vezes sem apoio para conquistar títulos e elevar o nome de nosso pais ao alto do pódio.
 
Acreditamos em uma administração mista, reunindo forças de todos os lados pelo desenvolvimento do esporte nacional. Junção de atletas, técnicos, treinadores, diretores e dirigentes esportivos em um supertime para o fortalecimento de nossas entidades.
 
Será que Renato Russo continuará sendo para todo o sempre o compositor da música mais atual de nosso país ou poderemos finalmente mudar e evoluir em prol de nossa população?
 
Pedimos o apoio de todos em defesa do esporte e do atleta brasileiro.
 
CNA – Comissão Nacional de Atletas
Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla