Ministério do Esporte Secretário Leandro Cruz apresenta em Conferência de Esporte da CPLP a experiência de legado olímpico e projetos sociais
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Secretário Leandro Cruz apresenta em Conferência de Esporte da CPLP a experiência de legado olímpico e projetos sociais

A experiência brasileira na gestão do legado dos recentes megaeventos esportivos e a necessidade de investimento no esporte educacional e social foram os principais pontos da apresentação que o secretário nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (Snelis), Leandro Cruz, fez nesta sexta-feira (28.07), em Caminha (Portugal), na abertura da 10ª Conferência de Ministros da Juventude e Desporto da Comunidade de Países da Língua Portuguesa (CPLP).

Diante de representantes dos outros oito países-membros da CPLP – Portugal, Angola, Cabo Verde, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Guiné Bissau, Guiné Equatorial e Timor-Leste –, Leandro Cruz destacou a interface entre projetos sociais e o legado físico dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. “No último dia 8, começamos a montar no Parque Olímpico da Barra núcleos do programa Esporte e Cidadania para Todos. Estudantes de escolas públicas de regiões carentes estão usando as arenas olímpicas para aprender 12 modalidades esportivas. Esse projeto também beneficia jovens que cumprem medidas socioeducativas. Isso é legado e inclusão”, definiu o secretário, que representa o ministro Leonardo Picciani na conferência sediada na cidade histórica do Noroeste de Portugal.

Foto: Miguel Ferraz/IPDJFoto: Miguel Ferraz/IPDJ

Segundo Tempo

Ao abordar os resultados do Programa Segundo Tempo, que desde 2003 atende a alunos da rede pública no contraturno escolar e já contemplou mais de 4 milhões de crianças, o secretário brasileiro recebeu imediatamente a atenção de membros das delegações de Angola, Moçambique e São Tomé e Príncipe. “É um projeto de inclusão social que nos interessa muito”, disse o diretor nacional de Desporto angolano, António Gomes. Leandro Cruz propôs que os colegas africanos recebam o material de treinamento online do Segundo Tempo: “Será uma parceria muito bem-vinda”.

O secretário-geral da Conferência de Ministros da Juventude e Desporto da CPLP, Augusto Baganha, elogiou o sucesso dos Jogos Rio 2016. “Estive no Brasil para acompanhar in loco e vi que tudo funcionou muito bem”. Um dos assuntos tratados nas reuniões desta sexta-feira foi exatamente dotar os Jogos da Comunidade de Língua Portuguesa, que reúne atletas em idade escolar, do padrão de excelência presente na organização de grandes eventos, como Copa do Mundo e Olimpíadas.

Caderno de encargos

Foi definido pela Comissão de Desporto da conferência que será criada a Comissão Técnica de Acompanhamento dos Jogos da CPLP, responsável por estruturar um caderno de encargos para os países-sede – a competição do ano que vem está prevista para São Tomé e Príncipe.

Também ficou acertado nas discussões de abertura da conferência que nações de fora da CPLP poderão ser convidadas a disputar os Jogos e que os países-membros da comunidade indicarão esportistas para atuarem como embaixadores da competição.

Paulo Rossi, de Caminha (Portugal)
Ascom – Ministério do Esporte

 
Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla