Ministério do Esporte No Dia da Mulher, Ministério do Esporte lança Programa Qualidade de Vida no Trabalho durante debate em parceria com o Correio Braziliense
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

No Dia da Mulher, Ministério do Esporte lança Programa Qualidade de Vida no Trabalho durante debate em parceria com o Correio Braziliense

Da esquerda para a direita: Andréa de Marque, Valeska Caixeta, Maíra Nunes, Jane Karla e Georgiana Arce. Foto: Francisco MedeirosDa esquerda para a direita: Andréa de Marque, Valeska Caixeta, Maíra Nunes, Jane Karla e Georgiana Arce. Foto: Francisco Medeiros
 
O Programa de Qualidade de Vida no Trabalho, que tem como premissas básicas o estímulo às boas práticas, a valorização, e a atenção à saúde, foi lançado na tarde desta quarta-feira, dia 8 de março, com o debate “Mulheres e Políticas Públicas para o Esporte”, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. “Vamos começar agora esse programa de qualidade de vida, dando hoje o pontapé inicial para uma proposta de trabalho que vai ficar aí por vários anos, disse o secretário executivo adjunto do Ministério do Esporte, Homero Gustavo Lima, na abertura do evento. 
 
“Nos últimos anos a gente tem acompanhado não só a participação das mulheres no esporte de alto rendimento, mas mulheres praticando cada vez mais atividade física, seja em nível de qualidade de vida, performance ou estética. Como professor de educação física, vi muitos dos meus colegas de profissão saindo da área competitiva para a área de qualidade de vida”, afirmou o secretário nacional de Esporte de Alto Rendimento, Luiz Lima. 
 
O diretor do Departamento de Informação e Educação da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem, Celso Giacomini, citou algo que costuma repetir quando as pessoas estão “com um ritmo meio para baixo”, ao parabenizar as servidoras e colaboradoras do ministério. “Não se preocupe, continue trabalhando. Nós temos uma missão para cumprir e em algum momento essa missão vai se encerrar, mas a instituição e a nossa história permanecem”, ressaltou.
 
Secretário executivo adjunto Homero Gustavo Lima fala sobre o lançamento do programa. Da direita para a esquerda, o diretor Celso Giacomini ao lado do secretário Luiz Lima. Foto: Francisco MedeirosSecretário executivo adjunto Homero Gustavo Lima fala sobre o lançamento do programa. Da direita para a esquerda, o diretor Celso Giacomini ao lado do secretário Luiz Lima. Foto: Francisco Medeiros
 
Mediado pela jornalista Maíra Nunes, da editoria de Esportes do Jornal Correio Braziliense – parceiro do evento -, o debate contou com as presenças da atleta medalhista do tiro com arco nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto e quinta colocada da modalidade na Rio 2016, Jane Karla Rodrigues; da coordenadora-geral de Gestão de Pessoas e Organização, Andréa de Marque; da assessora da Secretaria Nacional de Esporte de Alto Rendimento, Georgiana Arce; e da árbitra de futsal, Valeska Caixeta.  
 
Árbitra há 15 anos, Valeska destacou que o excesso de machismo ainda é muito grande. “A gente enfrenta situações (de preconceito) não só de homens, mas das próprias mulheres que estão na torcida. Quando se apita um jogo masculino você é muitas vezes mais respeitada do que em um feminino. Essa questão de não se aceitar uma mulher nessa posição está enraizada”, acentuou. 
 
Para a coordenadora Andréa de Marque, “esse programa, que hoje lançamos, almeja trabalhar a valorização de servidoras, colaboradoras, servidores, colaboradores. Não importa a nossa posição. Tudo faz a diferença”, completou.
 
Georgiana Arce citou os exemplos de superação de Valeska e Jane Karla como fatores de estímulo à continuidade dos trabalhos no Alto Rendimento. Ela enalteceu ainda a característica de “colmeia” da coordenadora Andrea, de agregar todos, de maneira que as secretarias vão se integrar mais a partir de agora.
 
Segundo Jane Karla, os atletas paralímpicos conseguiram mostrar que não são praticantes dos esportes “sociais”.  “A gente é de alto rendimento como o olímpico, e está ali lutando e se preparando para chegar a um evento máximo, que é uma Paralimpíada. E a gente quer mais. Na época da minha escola, para terem uma ideia, o professor de educação física me deixava fazendo trabalho, em vez de aula. Mesmo brincando com coleguinhas na rua, cresci achando que esporte não era para mim. Essa visão mudou apenas quando estava adulta, já casada, com dois filhos”, falou, ao descrever a sua trajetória. 
 
O evento se encerrou com o Projeto Vozes Cor de Rosa, com as cantoras Priscila, Thais e Eliza Borges, que se apresentou para o público formado por funcionárias da Casa.     
 
Projeto Vozes Cor de Rosa posa para foto com público ao fundo, depois da apresentação musical. Foto: Francisco MedeirosProjeto Vozes Cor de Rosa posa para foto com público ao fundo, depois da apresentação musical. Foto: Francisco Medeiros
 
Qualidade de Vida
 
O Programa Qualidade de Vida no Trabalho promoverá eventos visando à interação das equipes do ministério, sempre no intuito de abordar temas alusivos ao desenvolvimento humano e ao bem-estar no ambiente institucional.   
 
O objetivo do debate - o primeiro evento de uma série - foi trazer à luz o impacto do trabalho feito pelo Ministério do Esporte, responsável pelas políticas públicas para o setor; valorizar as equipes do órgão; promover e estimular a participação dos trabalhadores em eventos, ações e campanhas relacionadas no Programa de Qualidade de Vida no Trabalho da pasta.  
 
Emília Andrade
Ascom – Ministério do Esporte
 
 
Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla