Ministério do Esporte Projeto para criar lei sobre “esportes da mente” é discutido na Câmara dos Deputados
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Projeto para criar lei sobre “esportes da mente” é discutido na Câmara dos Deputados

Petronilo Oliveira/MEPetronilo Oliveira/ME
Com o objetivo de discutir a atual situação e as perspectivas dos esportes da mente, a Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados realizou nesta terça-feira (04.10), em Brasília, uma audiência pública para debater o tema. Representante do Ministério do Esporte, o coordenador da Secretaria de Esporte de Alto Rendimento, Ângelo Bortoli Filho, abriu a reunião.
 
Em seguida, diferentes entidades voltadas para a educação de jovens e adolescentes, por meio do esporte, falaram sobre o seu trabalho. Após essas explanações, representantes de federações, atletas e integrantes da sociedade civil discutiram o tema e pediram apoio ao Ministério do Esporte. 
 
O secretário nacional de Esporte Alto Rendimento, Luiz Lima, ressaltou que esporte não é apenas a parte física. “O virtual e o físico se unirão cada vez mais. O intelecto também é importante em vários sentidos, mesmo para os atletas de alto rendimento. Por isso, apoiamos totalmente o projeto de lei (Nº 6.210/2016) apresentado pela deputada Dorinha Seabra. A definição de esporte é muito ampla.”
 
Luiz Lima manifestou interesse em trabalhar pela concretização da proposta que pretende oficializar algumas dessas modalidades como esporte. “Se tiver um apelo popular muito grande, seja mental, seja físico, se houver um mínimo de organização, se tiver federações e confederações organizadas. Com todas elas adequadas às regras do ministério, elas serão reconhecidas e automaticamente viram parceiras do Ministério do Esporte”, completou o secretário.    
 
Petronilo Oliveira/MEPetronilo Oliveira/ME
 
De acordo com a deputada Dorinha Seabra, autora do requerimento para a realização da reunião, os esportes da mente, entre eles xadrez, gamão, cubo mágico, jogos eletrônicos, truco, pôquer e bilhar, transformaram-se  em importante ferramenta social e pedagógica, contribuindo para  o desenvolvimento do indivíduo e a melhoria da sociedade. “Esperamos apoio, pois os esportes de mente são benéficos por propiciarem estímulo da memória, o aprimoramento da capacidade de concentração e da velocidade de raciocínio, dentre outros aspectos”, explicou.
 
No encerramento, Ângelo de Bortoli Filho tirou dúvidas e se mostrou solícito a responder as futuras questões de diversos representantes da sociedade. “Todos que estiverem aptos podem concorrer, sempre por meio de editais. Passamos por um período pré-Olimpíadas, em que aqueles esportes foram prioridade. Agora, o cenário é outro. 
 
Também estiveram presentes na audiência o presidente da Confederação Brasileira do Desporto Escolar (CBDE);Robson Aguiar, o presidente da Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU), Luciano Atayde Costa Cabral; o presidente da Associação Brasileira de Esportes Intelectuais (Abrespi), Darcy Gustavo Machado Vieira Lima; o diretor de Games para Aprendizagem, Impacto Social e Saúde da Associação Brasileira dos Desenvolvedores de Jogos Digitais (Abragames), Mario Abbud Franco Lapin; e o professor coordenador do curso de ciências do esporte da Faculdade de Ciências Aplicadas da Unicamp, Luciano Allegretti Mercadante. 
 
Petronilo Oliveira
Ascom - Ministério do Esporte
Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla