Ministério do Esporte Técnico da seleção feminina de handebol busca novos talentos nos Jogos Escolares
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Técnico da seleção feminina de handebol busca novos talentos nos Jogos Escolares

O técnico da seleção brasileira feminina de handebol, o dinamarquês Morten Soubak, está na capital paraibana acompanhando os Jogos Escolares da Juventude João Pessoa 2016, etapa de 12 a 14 anos. O objetivo do treinador é observar as jovens que participam do evento organizado pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) em busca de novos talentos para o Brasil. As jovens que se destacarem na maior competição escolar do país poderão ser incorporadas ao planejamento da Confederação Brasileira de Handebol (CBHb).

Foto: Wander Roberto/Exemplus/COBFoto: Wander Roberto/Exemplus/COB
 
A vinda do treinador campeão mundial com a seleção brasileira principal em 2013 a João Pessoa reforça a importância dos Jogos Escolares da Juventude para a formação esportiva dos estudantes. O Time Brasil que participou dos Jogos Olímpicos Rio 2016 é um exemplo da capacidade de identificação de talentos do evento. Dos 465 atletas brasileiros que disputaram o Rio 2016, 52 passaram pelos Jogos Escolares. Levando-se em conta apenas as modalidades disputadas nos Jogos Escolares, esse número representa 23% da delegação brasileira nos Jogos Olímpicos. 
 
"Essa competição é muito importante para o futuro do esporte no país. São muitas jogadoras, o Brasil inteiro representado. Todas as escolas que estão aqui são campeãs estaduais. A maior parte das jogadoras das seleções juvenis e juniores participaram dos Jogos Escolares. É um torneio muito grande que ajuda muito na detecção de talentos, além de ser muito gostoso para todos os participantes", afirmou o dinamarquês. "No Brasil, a maioria dos atletas começa na escola. É bem interessante. As crianças estudam juntas e participam de competições como equipe. Temos poucos clubes de handebol no Brasil, por isso têm que se buscar outros meios para manter meninos e meninas por mais tempo no esporte", completou o campeão mundial.
 
Com o caderninho na mão, Morten não perdeu tempo. Logo após desembarcar na capital paraibana ele se dirigiu para um dos quatro ginásios que recebem os torneios femininos de handebol. Na manhã desta segunda-feira, dia 26, ele acompanhou atentamente ás três primeiras partidas realizadas – Colégio Ulbra Palmas (TO) x Rivanda Nazaré (AP), Elisio Teixeira (SP) x Colégio Anglo Líder (PE) e Clarice Lispector (RO) x Colégio Estadual Duque de Caxias (PR).
 
Morten aproveita os intervalos das partidas para conversar com os técnicos das equipes. "Conheço muitos treinadores que estão aqui de outras competições cadete. Converso com o pessoal de cada equipe. Acho importante falar com todos, discutir certos aspectos do jogo, saber da vida das meninas, o dia a dia no esporte para acompanhar o desenvolvimento de cada uma e de cada equipe. É importante manter essa sequência", afirmou Morten.  
 
Para as jovens alunas-atletas participantes dos Jogos Escolares da Juventude, o técnico dinamarquês deixou um recado: “O que eu costumo dizer é: se persistir no seu trabalho, um dia você vai ter uma chance de brilhar”.
 
Sobre os Jogos Olímpicos Rio 2016, o técnico destacou a participação do público em todos os jogos da seleção brasileira. "Todos os dias o ginásio estava lotado. A modalidade foi a segunda mais vista nos Jogos Olímpicos, atrás apenas do futebol. Não vai existir nunca mais nada parecido com o aconteceu no Rio de Janeiro", disse Morten.
 
Ver o técnico da seleção principal na arquibancada motivou ainda mais as atletas participantes dos Jogos Escolares. A partida entre paulistas e pernambucanas, por exemplo, terminou com vitória da equipe do Colégio Anglo Líder, de Recife, por 13 x 12, sobre as paulistas da Escola Elisio Teixeira Leite, em jogo emocionante, decidido no último minuto.
 
Destaque da partida, a jovem armadora Cassandra Cavalcanti, de 14 anos, aproveitou para tirar foto com o treinador e disse: "Sempre jogamos com muita raça e muita vontade. Mas saber que o técnico da seleção está nos acompanhando sem duvida é um incentivo a mais. Essa é a primeira vez que disputo os Jogos Escolares e fiquei impressionada com a estrutura do evento. Já disputei diversos torneios nacionais e até um Campeonato Sul-americano, mas nunca tinha visto uma estrutura como essa", disse Cassandra.
 
Os Jogos Escolares da Juventude João Pessoa 2016 serão realizados até a quinta-feira, dia 29. Encerradas as modalidades individuais (atletismo, badminton, ciclismo, ginástica rítmica, judô, luta olímpica, natação, tênis de mesa e xadrez), estão sendo disputadas agora as coletivas (basquete, futsal, handebol e vôlei).
 
Diversas outras atividades sociais e de entretenimento estão à disposição dos alunos-atletas de 12 a 14 anos que participam dos Jogos Escolares da Juventude João Pessoa 2016. Oficinas de animação, exposição de uniformes dos atletas olímpicos, exposição de fotos, lan house, exibição de filmes, mesas de tênis de mesa e totó, além de ações da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), uma forma de prevenir e ensinar os jovens sobre os perigos do uso de drogas no esporte. 
Os Jogos Escolares da Juventude são organizados e realizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), correalizados pelo Ministério do Esporte e Organizações Globo, com apoio do Governo da Paraíba e patrocínio máster da Coca-Cola.
 
Fonte: COB
Ascom - Ministério do Esporte
Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla