Ministério do Esporte Candidata a mestre de apenas 12 anos leva o ouro do xadrez dos Jogos Escolares da Juventude
Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para a busca 3 Ir para o rodapé 4 Página Inicial Mapa do Site Ouvidoria Acessibilidade MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE ACESSIBILIDADE
Ministério do
Esporte

 
Conheça os principais programas e ações do Ministério do Esporte.
Videorreportagens, textos e fotos mostram como os projetos são colocados em prática e os resultados alcançados em todo o país.

Informações: (61) 3217-1875E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

                          

Candidata a mestre de apenas 12 anos leva o ouro do xadrez dos Jogos Escolares da Juventude

Filha de peruanos, mas nascida no Brasil, Eymi Priscila Montufar conquistou nesta sexta-feira, dia 23, no Centro de Convenções de João Pessoa a medalha de ouro no xadrez feminino dos Jogos Escolares da Juventude, para alunos-atletas de 12 a 14 anos. A competição foi disputada por 27 atletas, 12 delas com ranking na Confederação Brasileira de Xadrez (CBX) e sete ranqueadas pela Federação Internacional de Xadrez (FIDE).
 
Eymi Priscila Montufar venceu as cinco partidas que disputou. (Foto: Ana Patrícia/COB)Eymi Priscila Montufar venceu as cinco partidas que disputou. (Foto: Ana Patrícia/COB)
 
Eymi venceu os cinco jogos que disputou, incluindo a sua principal adversária, a brasiliense Luiza Felix, levando-se em conta o rating nacional e internacional. Candidata a mestre feminina (WCM), a jovem atleta é a atual tetracampeã brasileira do xadrez pensado (2013 a 2016), além de campeã Pan-americana em competição disputada na Colômbia e sul-americana (na Bolívia) no blitz.
 
A desenvoltura demonstrada nas mesas deu lugar à timidez ao comentar sobre a vitória. “Foi muito bom”, limitou-se a dizer a menina de apenas 12 anos, que estuda no Colégio Nacional II, de Uberlândia (MG). Ao seu lado, a técnica e mãe de Eymi, Sonia Yana disse que Eymi começou a jogar aos 5 anos, seguindo os passos da irmã, que disputará os Jogos Escolares da Juventude em novembro, na edição para atletas de 15 a 17 anos.
 
“Ela evoluiu rapidamente porque queria derrotar a irmã mais velha e já conseguiu o seu objetivo. As duas já se enfrentaram três vezes em torneios, Eymi perdeu as duas primeiras partidas, mas venceu a última”, disse Sonia.
 
A derrota para Eymi deixou Luiza Felix fora do pódio. A medalha de prata da competição ficou com a catarinense Fernanda Balbys, do Instituto Estadual de Educação (IEE), de Florianópolis (SC), e o bronze foi para a representante da cidade de João Pessoa, Emerly Nascimento, da Escola Municipal Duarte da Silveira (PB).
 
“Esse foi o meu primeiro campeonato brasileiro, por isso estou tão feliz. Esse é um momento especial na minha vida”, disse Emerly, logo após receber a medalha no pódio. A jovem de 14 anos começou a jogar na escola, aos 6 anos de idade. “Tinha xadrez humano na minha escola, o que chamou a minha atenção e do meu pai. Ele aprendeu a jogar e depois me ensinou”, disse a jovem.
 
O torneio de xadrez dos Jogos Escolares da Juventude é disputado no sistema suíço, com cinco rodadas, e uma hora de tempo para cada atleta com dez segundos de acréscimo após cada movimento. Todos os resultados, incluindo partidas inteiras dos Jogos Escolares da Juventude João Pessoa 2016 podem ser visualizados no site: 
 
Os Jogos Escolares da Juventude são organizados e realizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), correalizados pelo Ministério do Esporte e Organizações Globo, com apoio do Governo da Paraíba e da Prefeitura Municipal de João Pessoa e patrocínio máster da Coca-Cola.
 
Fonte: COB
Ascom - Ministério do Esporte
Desenvolvido com o CMS de código aberto Joomla